InicioAngolaSecretário de Estado das Águas aponta alternativas para o sector

Secretário de Estado das Águas aponta alternativas para o sector

A solução dos problemas do fornecimento de energia eléctrica, de forma sustentável, passa necessariamente pela utilização de fontes de energia renováveis, afirmou hoje, quarta-feira, em Luanda, o secretário de Estado das Águas, Luís Filipe da Silva.

Secretario de Estado das Águas, Luis Filipe (Foto: Joaquina Bento)
Secretario de Estado das Águas, Luis Filipe (Foto: Joaquina Bento)

Segundo Luís Filipe da Silva, que  falava na abertura da IV sessão de Opções Térmicas e Cenários de Expansão do Sistema Electroproductor até 2025, em representação do titular da pasta, João Baptista Borges, são considerados eixos fundamentais da política energética do país as várias alternativas de geração térmica à produção desde derivados do petróleo, como o gasóleo e Jet full, gás do grupo do ciclo combinado ou turbinas simples e mesmo de motores à gás.

Para o responsável, esta matriz diversificada não deve ser desprezada, tendo em conta a sua  importância para o asseguramento da política nacional.

Realçou a construção da barragem hidroeléctrica de Lauca, na província do Cuanza Norte, e outros investimentos em fontes de energia renováveis, como cruicial para o desenvolviemnto do país.

Luís Filipe da Silva apontou que a competitividade no sector, o equilíbrio e desenvolvimento regional devem ser assuntos a aflorar neste encontro, do qual disse esperar, a semelhança das anteriores sessões, saíam contribuições assinaláveis sobre a visão para o sector, até 2025.

Participaram do evento a ministra do Ambiente, Fátima Jardim, entre técnicos do sector de Energia e Águas, de administrações municipais, representantes de empresas de prestação de serviço, entre outros convidados. (portalangop.co.ao)

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.