InicioAngolaImigração ilegal deixou de ser preocupação na Huíla

Imigração ilegal deixou de ser preocupação na Huíla

Lubango – A província da Huíla quase não regista casos de imigração ilegal, mas o trabalho de fiscalização de expatriados é contínuo, afirmou hoje, terça – feira, no Lubango, o director em exercício dos Serviços de Migração e Estrangeiros, superintendente de migração, Armindo Henriques.

Imigração ilegal (Foto: Angop)
Imigração ilegal (Foto: Angop)

Falando aos jornalistas, o oficial dos SME disse que actualmente são controlados dois mil e 97 estrangeiros de diferentes nacionalidades, todos com situação migratória legal, com destaque para vietnamitas, chineses, portugueses, canadianos, norte-americanos, mauritanianos, cubanos e filipinos.

“Há alguns ilegais e nestes casos quando apanhados são convidados a abandonar o país, mas afirmamos que a província não é endémica em casos de emigração ilegal, temos alguns estrangeiros, mas legalmente controlados”, ressaltou a fonte.

O superintendente de migração afirmou que a maior parte deles tem visto de trabalho, de permanência temporária, autorização de residência e outros refugiados ou requerentes de asilo.

Quanto aos supostos envolvidos em negócios, Armindo Henriques disse que na sua maioria não são os legítimos proprietários, mas empregados e que se a província tivesse um centro de acolhimento para asilados ou refugiados la estariam.

Na Huíla, a maior parte dos imigrantes ilegais usa estrada nacional 280, que liga à província do Cunene, porta de entrada destes através da fronteira com a Namíbia, por isso criou-se um destacamento de controlo na comuna da Quihita, município da Chibia, cerca de 70 quilómetros a sul do Lubango. (portalangop.co.ao)

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.