InicioMundo LusófonoPortugalHomicídios conjugais. Só este ano já foram assassinadas 19 mulheres

Homicídios conjugais. Só este ano já foram assassinadas 19 mulheres

(Nuno André Ferreira/Lusa)
(Nuno André Ferreira/Lusa)

No ano passado, 33 mulheres morreram às mãos dos companheiros. Fenómeno continua a aumentar

É o 19.o caso desde Janeiro. Uma mulher com 54 anos foi encontrada morta em casa, ontem de manhã, na freguesia de Vale de Santarém, arredores do Cartaxo. Terá sido o companheiro, de 48 anos, o responsável pela morte. Segundo uma fonte da GNR, o casal vivia em união de facto há 10 anos, mas estava a separar-se e a casa onde viviam estava à venda.

O alegado homicida terá reagido mal à separação e acabou por estrangular a companheira. Depois de cometer o crime, por volta das 10h, telefonou para o INEM. Esperou pelos bombeiros, não ofereceu resistência quando a GNR o deteve e deverá ser interrogado ainda hoje por um juiz no Tribunal de Santarém. O número de homicídios conjugais continua a aumentar. No ano passado, de acordo com os números do Relatório Anual de Segurança Interna (RASI), foram assassinadas pelos companheiros 33 mulheres. E este ano, até ao primeiro dia de Junho, já foram contabilizados 19 casos.

Nas últimas duas semanas foram noticiadas quatro mortes. Na quinta-feira, Luana Camargo, médica dentista de 28 anos, foi esfaqueada pelo companheiro – já em prisão preventiva – no consultório, em pleno centro de Lisboa. Na noite anterior, Luana saiu de casa e anunciou ao marido, Marcos, de 40 anos, que iria pedir o divórcio, pondo um ponto final no casamento de sete anos.

Antes, a 23 de Maio, um emigrante brasileiro assassinou a namorada à pancada em Évora. Segundo contou à Lusa uma fonte da PSP, já havia um historial de violência doméstica. O casal vivia num quarto arrendado no centro da cidade – onde aconteceu o crime. O alegado homicida entregou-se à polícia dois dias depois. Contou que quando acordou de manhã encontrou a namorada, de 27 anos, morta na cama e que não se lembrava de nada do que tinha acontecido na noite anterior.

Entretanto, na sexta-feira passada, a Polícia Judiciária deteve um outro alegado homicida, de 62 anos, que terá assassinado a mulher também num quadro de violência doméstica. O crime aconteceu a 18 de Maio em Gondomar. O homem, reformado, terá agredido a mulher, provocando-lhe traumatismo craniano – que, segundo a autópsia, foi a causa da morte.

Ainda segundo o RASI, o crime de violência doméstica aumentou 2,4% em 2013. Os distritos mais problemáticos são os mais populosos: Lisboa registou 5885 queixas, Porto 5142 e Setúbal 2380. Porém, dados revelados na sexta-feira pelo Ministério Público do Distrito Judicial de Lisboa referem que foram registados no primeiro trimestre deste ano 2256 casos de violência doméstica na capital – uma diminuição de 7,5% em relação ao período homólogo de 2013. Em Dezembro de 2013 estavam detidos 427 reclusos por violência doméstica, mais 189 que em 2011 e havia ainda 210 agressores com pulseira electrónica, contra 51 em 2011. (ionline.pt)

por Rosa Ramos

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.