Constituição angolana contém normas muito avançadas sobre Poder Local

(DR)
(DR)

A Constituição da República de Angola contém normas muito avançadas daquilo que será o Poder Local, constatou recentemente, em Luanda, o presidente da Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santo Antão, Cabo Verde, Orlando Delgado.

Segundo o responsável, com as leis prescritas na Carta Magna estão lançados os ingredientes essenciais para a institucionalização das autarquias em Angola.

Orlando Delgado acrescentou que o estabelecimento do Poder Local é o caminho para o desenvolvimento das comunidades.

Lembrou que as autarquias locais garantem transparência na governação municipal, autonomia normativa e organizativa, bem como a estabilidade e democraticidade.

Por sua vez, em relação ao mesmo tema, o assessor do Instituto de Formação da Administração Local (IFAL), Gilberto Ferraz, sublinha, por seu turno, que as autarquias em si só não consolidam a democracia, nem satisfazem as necessidades das comunidades sem que as assembleias municipais criem mecanismos eficazes de fiscalização do exercício de actividade de cada integrante dos respectivos órgãos.

A Constituição angolana, aprovada em 2010, consagra a descentralização administrativa como um dos princípios fundamentais de organização do Estado, que se materializa através da institucionalização das autarquias locais. (portalangop.co.ao)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »