- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Portugal Seguro endurece o tom e prevê ruptura social

Seguro endurece o tom e prevê ruptura social

imagem-imagem-b3-okLíder do PS esteve com o Presidente e apela a mudança de “trajectória”. Passos garante que “não é preciso mais austeridade” mas culpa procura externa.

O fosso é cada vez maior entre o PS e a actual maioria. Ainda que, em linhas gerais, os últimos dias possam ter trazido uma aproximação de posições – com o governo a pedir a revisão das condições do ajustamento junto das instâncias europeias –, há um diferendo quanto à origem de toda a situação. O governo argumenta com a má resposta da procura externa e o PS garante que houve “falhanço” na política do executivo. Ontem António José Seguro esteve em Belém e agravou o discurso alertando para a “iminência de ruptura social”.

Numa reunião de uma hora e meia com o Presidente da República, Seguro fez saber que não vai admitir mais austeridade. “Os portugueses não aguentam mais sacrifícios e não são possíveis mais medidas de austeridade.” A recusa tem eco nas palavras do primeiro-ministro, que, logo ontem de manhã, garantiu que “não é preciso juntar mais austeridade” à que já existe para controlar o défice. A manobra do executivo será outra (ver páginas anteriores), já que Passos reconhece que, “com uma contracção maior da procura externa, será muito difícil atingir os objectivos do défice nominal”.

É aqui que se desequilibra a relação entre os dois partidos de poder: Passos insiste em culpar factores externos (apoiado por Paulo Portas, que diz mesmo que o país “merece um prémio”), Seguro garante que o governo falhou. A dialéctica muda de lado: em 2010 era o PS de Sócrates a culpar a crise internacional e o PSD a falar em falhanço da política orçamental.
Agora Seguro ainda acrescenta um ponto: “Vivemos na iminência de uma ruptura social.” Na reunião “muito importante e profícua” com o Presidente, Seguro deu conta desta preocupação e acrescentou-lhe uma expressão cara ao Presidente, a da “espiral recessiva”: “O país está a viver uma degradação acelerada da situação social e da situação económica, estamos a caminho de um milhão de desempregados, uma espiral recessiva em termos económicos e é necessário pôr travão e esta situação.” Ler mais

(ionline.pt)

- Publicidade -
- Publicidade -

Covid-19: Portugal regista mais 2.535 infectados e 16 mortes

Portugal somou, nas últimas 24 horas, mais 2.535 infetados pelo novo coronavírus, e 16 mortes associadas à Covid-19, revela o boletim epidemiológico da Direção-Geral...
- Publicidade -

Moçambique no Conselho de Segurança da ONU? Portugal deverá apoiar

O ministro português dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, diz que Portugal está aberto a apoiar uma candidatura de Moçambique a membro não-permanente do...

Nove pessoas da mesma família morrem após comerem macarrão instantâneo

Nove pessoas da mesma família morreram, na China, vítimas de intoxicação alimentar, depois de ingerirem macarrão instantâneo congelado. A polícia local revelou que a massa,...

Parlamento angolano analisa levantamento de imunidades a deputado e antigo ministro da Comunicação Social

Manuel Rabelais, um dos mais próximos colaboradores de José Eduardo do Santos, é acusado de peculato e lavagem de capitais. A Comissão de Mandatos, Ética...

Notícias relacionadas

Covid-19: Portugal regista mais 2.535 infectados e 16 mortes

Portugal somou, nas últimas 24 horas, mais 2.535 infetados pelo novo coronavírus, e 16 mortes associadas à Covid-19, revela o boletim epidemiológico da Direção-Geral...

Moçambique no Conselho de Segurança da ONU? Portugal deverá apoiar

O ministro português dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, diz que Portugal está aberto a apoiar uma candidatura de Moçambique a membro não-permanente do...

Nove pessoas da mesma família morrem após comerem macarrão instantâneo

Nove pessoas da mesma família morreram, na China, vítimas de intoxicação alimentar, depois de ingerirem macarrão instantâneo congelado. A polícia local revelou que a massa,...

Parlamento angolano analisa levantamento de imunidades a deputado e antigo ministro da Comunicação Social

Manuel Rabelais, um dos mais próximos colaboradores de José Eduardo do Santos, é acusado de peculato e lavagem de capitais. A Comissão de Mandatos, Ética...

Jovem que abandonou filho no lixo condenada a nove anos de prisão

A 1ª e a 9ª comissões vão levar a discussão a suspensão de mandato e retirada de imunidades ao antigo ministro da Comunicação Social...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.