- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Primeiro destruíram-lhes as casas e agora vão para a prisão

Primeiro destruíram-lhes as casas e agora vão para a prisão

DFD4FB61-C260-4C10-8448-16D8DCCEC900_w640_r1_s_cx0_cy21_cw0Dezenas de pessoas que viram as suas casas destruídas pelas autoridades nos arredores de Luanda fazem face agora a penas de prisão por terem habitação ilegal na zona.

Familiares de presos disseram à Voz da América que os julgamentos se têm processo de modo sumário e ao pagamento de multas.

Conforme a voz da América noticiou dezenas de habitações foram recentemente destruídas pelas autoridades no Cacuaco numa operação envolvendo forte dispositivo policial.

Segundo os moradores do bairro Mayombe mais de cinco dezenas de cidadãos encontram-se detidos em diversas cadeias de Luanda e Caixito acusados de ocupação ilegal terras.

Helson Hossi pai de José Mambuco Kuenha um dos réus disse a nossa reportagem que os julgamentos são dirigidos pelo juiz Manuel Paixão Ferreira e que nesses julgamentos o juíz se limita perguntar onde o réu vivia.

Coma resposta confirmando o Cacuaco o réu é imediatamente condenado a prisão e/ou multa.

Ordem do tribunal
​​​​​​​​Paulo Abreu parente do réu Agostinho Massessi denunciou que o tribunal havia cobrado um taxa para 74.000 kwanzas como custos judiciais para as solturas dos seus familiares mas mesmo assim continuam presos.

Administradora Municipal do Cacuaco, Rosa Janota dos Santos, tinha anteriormente afirmado à Voz da America que as demolições em curso não são um plano municipal mas sim nacional acrescentando que já se está a trabalhar no reassentamento dos desalojados.

As demolições, disse ela, visam a colocação de uma vista turística naquela zona
Mais de trezentas famílias continuam ao relento nos bairros Mayombe, Baixa de Cassange, Sequele 1 e 2.

(voaportugues.com)

- Publicidade -
- Publicidade -

RDC: Félix Tshisekedi defende “união sagrada” após tensões pró-Kabila

Nem dissolução do Parlamento, nem renúncia do governo. No final de uma semana tensa com seus aliados da Frente Comum para o Congo, Félix Tshisekedi...
- Publicidade -

Activista Paulo de Morais constituído arguido no caso “vestidos de noiva”

O facto acontece na sequência da queixa-crime por difamação apresentada em Portugal por Bornito de Sousa, vice-presidente de Angola, e a sua filha Naulila...

Deputados das 1ª e 9ª comissões votam a favor da suspensão de mandato e retirada de imunidades a Manuel Rebelais

Os deputados das 1º e 9ª comissões especializadas da Assembleia Nacional aprovaram hoje, sexta-feira, 23, por unanimidade, o relatório parecer que suspende o mandato...

A segunda parte do Lourencismo

Hoje sábado, 24 de Outubro, voltará a ser um dia tenso em Luanda. Em contexto de profunda crise económica, desemprego e carências, jovens activistas...

Notícias relacionadas

RDC: Félix Tshisekedi defende “união sagrada” após tensões pró-Kabila

Nem dissolução do Parlamento, nem renúncia do governo. No final de uma semana tensa com seus aliados da Frente Comum para o Congo, Félix Tshisekedi...

Activista Paulo de Morais constituído arguido no caso “vestidos de noiva”

O facto acontece na sequência da queixa-crime por difamação apresentada em Portugal por Bornito de Sousa, vice-presidente de Angola, e a sua filha Naulila...

Deputados das 1ª e 9ª comissões votam a favor da suspensão de mandato e retirada de imunidades a Manuel Rebelais

Os deputados das 1º e 9ª comissões especializadas da Assembleia Nacional aprovaram hoje, sexta-feira, 23, por unanimidade, o relatório parecer que suspende o mandato...

A segunda parte do Lourencismo

Hoje sábado, 24 de Outubro, voltará a ser um dia tenso em Luanda. Em contexto de profunda crise económica, desemprego e carências, jovens activistas...

Escassez de combustível em Mbanza Kongo atribuída ao contrabando

Mbanza Kongo - Munícipes de Mbanza Kongo, província do Zaire, afirmaram nesta sexta-feira que as constantes rupturas de combustíveis que se assiste na cidade...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.