- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Economia Vinhos portugueses reforçam presença para consolidar liderança do mercado

Vinhos portugueses reforçam presença para consolidar liderança do mercado

Vinhos portuguesesOs vinhos portugueses es­tão a tentar obter um espa­ço dominante no mercado angolano através de várias empresas, uma das quais, a Lusovini, que aposta na ex­clusividade de 14 produto­res e na formação.

Casimiro Gomes está sa­tisfeito com os resultados já alcançados em Angola, onde a Lusovini se instalou em 2010 e facturou 2,5 milhões de dólares (1,8 milhões de euros) em 2012 e em que a meta para este ano é crescer 30 por cento.

“A empresa foi criada em Portugal em 2009 e a primei­ra internacionalização foi em Angola, porque já tínhamos tido um projecto também vi­nícola, e conhecíamos as pes­soas. Seguiu-se o Brasil e, em 2012, Moçambique”, disse.

Representando 14 produ­tores em exclusivo, uma no­vidade em Portugal, afirmou, a Lusovini aposta em Angola nas classes alta e média-alta.

A receita assenta na logísti­ca: “Em 24 horas entregamos qualquer encomenda, e em 48 horas em qualquer ponto de Angola”, assegurou, salien­tando os contentores refrige­rados que a empresa utiliza.

“Representamos produ­tores, de dimensão relativa­mente pequena que, juntos, fazem uma unidade muito interessante, com a vantagem de já serem produtores afir­mados, com provas dadas. O que lhes faltava era capaci­dade de internacionalização, dimensão”, considerou.

Casimiro Gomes adiantou que os 14 produtores repre­sentados, nos vinhos verdes, do Porto, Douro, Dão, Bair­rada, Ribatejo e Alentejo, permitem à Lusovini ter um portefólio que cobre todos os tipos de mercado.

“Só não entramos nos vi­nhos base, nos vinhos corren­tes”, acentuou.

A presença em vários mer­cados externos permite fazer uma autêntica economia de escala, como seja proceder ao lançamento simultanea­mente em Lisboa, Luanda, Maputo e São Paulo.

Outra diferença que a Lu­sovini quer vincar é a trans­missão de conhecimentos, para o que organizou na passada semana em Luanda uma acção de formação diri­gida por Luís Lopes, direc­tor da revista de vinhos, a responsáveis de compras da distribuição e quadros liga­dos à restauração.

“Esta acção inseriu-se no programa europeu Organi­zação Comum de Mercado (OCM), destinado a promo­ver vinhos de países da União Europeia em mercados extra­comunitários. Angola tem-se revelado nos últimos anos um dos mercados mais activos do mundo na procura e no con­sumo de vinhos de alta qua­lidade”, salientou Casimiro Gomes.

Com 25 colaboradores no país, a Lusovini considera que Angola é agora o merca­do a apostar no médio e lon­go prazo, a que se deve dar a “máxima atenção”.

“Não é desprezível. Deve- -se dar a máxima atenção. Já foram os Estados Unidos e a Inglaterra. Agora é Angola porque, passou a ser o maior mercado de valor, é porque o mercado está a evoluir na qua­lidade. Está pagar melhor a qualidade”, concluiu.

Angola é o principal consu­midor dos vinhos portugue­ses no mundo. Desde 2003 que é o mercado que repre­senta maior valor e, em quan­tidade, lidera desde 2005. Os produtores portugueses estão a apostar cada vez mais no país, onde o vinho luso goza de prestígio e de tradição. (Jornal de Economia & Finanças)

- Publicidade -
- Publicidade -

Covid-19: Estudo indica como vírus se espalha em uma sala de aula

A pesquisa apontou que, mesmo com distância de mais de 2 metros entre os estudantes, partículas minúsculas suspensas no ar podem circular entre eles. Em...
- Publicidade -

Por que a mudança para o gás de cozinha ainda é tão lenta em África?

O uso de combustíveis como carvão vegetal ou mesmo querosene para cozinhar é um contribuinte significativo para as mortes relacionadas à poluição. A solução é...

FC Porto e Marselha derrotados no arranque da Liga dos Campeões

A primeira jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões edição 2020/2021 ficou encerrada na quarta-feira 21 de Outubro, sendo que o FC...

Papa Francisco defende uniões de facto de casais homossexuais

O Papa Francisco defendeu hoje pela primeira vez que os casais homossexuais devem ser protegidos pelas leis da união civil, durante uma entrevista para...

Notícias relacionadas

Covid-19: Estudo indica como vírus se espalha em uma sala de aula

A pesquisa apontou que, mesmo com distância de mais de 2 metros entre os estudantes, partículas minúsculas suspensas no ar podem circular entre eles. Em...

Por que a mudança para o gás de cozinha ainda é tão lenta em África?

O uso de combustíveis como carvão vegetal ou mesmo querosene para cozinhar é um contribuinte significativo para as mortes relacionadas à poluição. A solução é...

FC Porto e Marselha derrotados no arranque da Liga dos Campeões

A primeira jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões edição 2020/2021 ficou encerrada na quarta-feira 21 de Outubro, sendo que o FC...

Papa Francisco defende uniões de facto de casais homossexuais

O Papa Francisco defendeu hoje pela primeira vez que os casais homossexuais devem ser protegidos pelas leis da união civil, durante uma entrevista para...

Covid-19: Portugal regista mais 2.535 infectados e 16 mortes

Portugal somou, nas últimas 24 horas, mais 2.535 infetados pelo novo coronavírus, e 16 mortes associadas à Covid-19, revela o boletim epidemiológico da Direção-Geral...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.