- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Parque do Iona garante futuro da biodiversidade

Parque do Iona garante futuro da biodiversidade

20130218081520parq_ion1O Parque Nacional do Iona, no município do Tômbwa, na província do  Namibe, vai ser reabilitado para uma maior conservação da biodiversidade e fomento do turismo no país. O maior parque transfronteiriço de Angola fica a 95 quilómetros da cidade do Namibe e tem uma área de 15.150 quilómetros quadrados. Esta reabilitação resulta da Convenção de Financiamento do Projecto Nacional de Biodiversidade e Conservação do Parque Nacional do Iona, assinada recentemente pelo ministro do Planeamento e Desenvolvimento Territorial, Job Graça, e o responsável da União Europeia no nosso país, Xavier Puyol.
A Convenção Financeira que a União Europeia apoia em termos de cooperação no campo de conservação da biodiversidade  é a primeira em Angola e está avaliada em dez milhões de euros (cerca de 1,3 mil milhões de kwanzas).
O projecto nacional da biodiversidade para a conservação do Parque Nacional do Iona tem a duração de seis anos e vai incluir três componentes. A primeira, já em curso, consiste na reabilitação do parque, e está avaliada em mais de 500 milhões de kwanzas, montante que vai servir também para o reforço do sistema nacional de áreas protegidas, incluídas no Plano Estratégico das Alterações Climáticas aprovado pelo Conselho de Ministros em 2010.
A segunda componente do projecto, no valor de 200 milhões de kwanzas, vai permitir o reforço da capacidade institucional na gestão das áreas protegidas, enquanto a terceira, avaliada em pouco mais de cem milhões de kwanzas, contempla a gestão e coordenação do próprio projecto.
Para tal, o Estado angolano participa no projecto com mais de 476 milhões de kwanzas, o PNUD com 103 milhões, a União Europeia com 514 milhões e o Fundo Global do Ambiente com 193 milhões de kwanzas.
Com este projecto, o Executivo, através do Ministério do Ambiente, prevê a criação de um sistema operacional através do qual é promovida uma estrutura física funcional, com pessoal qualificado, para o sistema de áreas protegidas.

Áreas de intervenção

O Projecto Nacional da Biodiversidade e Conservação do Parque Nacional do Iona, cuja duração é de quatro anos para a fase operacional e dois para a de encerramento, comporta dois níveis de intervenção: nacional e local. A nível nacional, o projecto vai apoiar o Instituto Nacional de Áreas de Conservação da Biodiversidade na avaliação do estado actual dos parques nacionais, das reservas naturais e na gestão dos sistemas de áreas protegidas.
A nível local, permite a reabilitação do parque, que possui um grande número de habitats e espécies únicas, formando um elo contínuo com as extensas áreas de conservação costeira da Namíbia no “Skeleton Coast Park”, fornecendo assim potencial para formar uma das maiores áreas de conservação transfronteiriça em África. Ainda a nível local, o projecto permite ao Ministério do Ambiente reabilitar uma área específica no maior parque transfronteiriço de Angola.
Um dos objectivos específicos é o de catalisar uma melhor gestão global da rede de áreas protegidas e outro é estabelecer e gerir eficazmente uma rede de áreas protegidas para a conservação de amostras representativas da biodiversidade em Angola.
O ministro do Planeamento e do Desenvolvimento Territorial, Job Graça, considerou fundamental a protecção da biodiversidade, para o sucesso do desenvolvimento sustentável no país.
A ministra do Ambiente, Fátima Jardim, sublinhou o empenho do Executivo na concretização das políticas e programas de desenvolvimento sustentável, tal como na ampliação de áreas de conservação, de acordo com a Convenção quadro das Nações Unidas para a diversidade biológica, e integra as três convenções da sustentabilidade global, as alterações climáticas, a seca e desertificação, tendo em vista assegurar o desenvolvimento sustentável.
Fátima Jardim disse ainda que a assinatura destes instrumentos jurídicos vai envolver a execução do Plano Nacional de Gestão do Ambiente, as estratégias da biodiversidade para alterações climáticas, Plano Nacional de Consciencialização Ambiental e da estratégia de combate à pobreza. Na mesma cerimónia, a ministra do Ambiente, na qualidade de representante da entidade impulsionadora e beneficiária do projecto, também assinou com o PNUD, no quadro do projecto do Iona, um acordo para a concretização do Programa de Apoio Estratégico para o Ambiente (PAEA).
O documento foi assinado pela coordenadora residente do Sistema das Nações Unidas em Angola e representante do PNUD, Maria do Valle Ribeiro.

Repovoamento animal

O repovoamento animal e a melhoria da fiscalização no Parque Nacional do Iona, com pessoal devidamente treinado e equipado, também fazem parte do programa. Trata-se de um passo muito importante para o desenvolvimento do turismo na região e dentro do próprio parque também vai haver inovações, designadamente no Acampamento da Espinheira, onde já existe água potável e a construção de residências para os fiscais. Falta apenas mobilar, instalar os geradores e viaturas.
Em relação às espécies existentes actualmente no Parque Nacional do Iona, há orixes, gazelas, zebras e olongos, e vão ser repostas algumas outras que existiam em abundância, à semelhança do que aconteceu com o Parque Nacional da Quissama, na província de Luanda.

Localização

Situado no Sul de Angola, na província do Namibe, entre o Oceano Atlântico e os rios Cunene e Curoca, ocupa uma área de 15.150 quilómetros quadrados, que se estende das dunas de areia junto à costa até às montanhas de Tchamalinde. O centro do parque é constituído por planícies abertas.
A pluviosidade média anual varia entre 100 e 500 mm, aumentando à medida que se afasta do mar. Existem 31 fontes naturais dentro do parque.
Estabelecido como reserva de caça em 1937 e transformado em Parque Nacional em 1964, o Iona começou a receber visitantes em viagens organizadas a partir da Namíbia, em 2001. Antes da independência e do conflito armado, segundo alguns ambientalistas, Iona era um “paraíso animal, rico em caça grossa”. No entanto, a caça ilegal e a destruição das infra-estruturas têm causado danos consideráveis.
Há três tipos de vegetação no parque: anharas, dunas com arbustos e planície de savana com pequenos arbustos. Abunda ainda a welwitschia, planta que pode viver mais de mil anos. O parque também é conhecido pela flora única e por incríveis formações rochosas.
O Hippotragus Níger, uma espécie praticamente extinta, é o antílope emblemático do parque, mas existem outros mamíferos, como o elefante, leão, rinoceronte negro, onça, hiena, gulengu e várias espécies de zebras. (jornaldeangola.com)

- Publicidade -
- Publicidade -

António Guterres apela ao diálogo na Guiné-Conacri

O secretário-geral da ONU quer uma “solução pacífica” e “diálogo” para responder à crise pós-eleitoral na Guiné-Conacri. António Guterres pediu ao presidente reeleito Alpha...
- Publicidade -

FAF recebe ultimato da FIFA

A Federação Angolana de Futebol (FAF) foi notificada pela Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA), para responder até sexta-feira (30) às acusações de irregularidades...

Norberto de Castro está autorizado a concorrer à liderança da FAF

A Federação Angolana de Futebol (FAF) foi notificada pela Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA) para responder, até sexta-feira, às acusações de irregularidades no...

CONTEXTOS: Tempo de Oposições

Desemprego, desordem e desinformação - destes 3 Ds se fará o "Verão Quente" prestes a começar no continente africano. De um lado, uma população...

Notícias relacionadas

António Guterres apela ao diálogo na Guiné-Conacri

O secretário-geral da ONU quer uma “solução pacífica” e “diálogo” para responder à crise pós-eleitoral na Guiné-Conacri. António Guterres pediu ao presidente reeleito Alpha...

FAF recebe ultimato da FIFA

A Federação Angolana de Futebol (FAF) foi notificada pela Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA), para responder até sexta-feira (30) às acusações de irregularidades...

Norberto de Castro está autorizado a concorrer à liderança da FAF

A Federação Angolana de Futebol (FAF) foi notificada pela Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA) para responder, até sexta-feira, às acusações de irregularidades no...

CONTEXTOS: Tempo de Oposições

Desemprego, desordem e desinformação - destes 3 Ds se fará o "Verão Quente" prestes a começar no continente africano. De um lado, uma população...

Covid-19: Angola com 203 novos casos e 46 recuperados

Duzentos e três novas infecções, quatro óbitos e quarenta e seis recuperados foram registados, nas últimas 24 horas, em Angola. Segundo o secretário de Estado...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.