- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Cultura Ministra reconhece existir mais organização dos grupos do Carnaval

Ministra reconhece existir mais organização dos grupos do Carnaval

0,6715934e-962a-45b7-9b52-e2504e207f8bA ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, afirmou hoje, terça-feira, em Luanda, que com o decorrer do tempo denota-se uma maior organização dos grupos, apesar de haver ainda muito trabalho pela frente.

Rosa Cruz e Silva fez este pronunciamento à imprensa, no âmbito do desfile central do Carnaval de Luanda a decorrer daqui à pouco.

Para a governante, as administrações locais, por exemplo, devem trabalhar para que os grupos, junto das suas circunscrições, possam ter espaços e infra-estruturas para as suas sedes.

“É verdade que existem alguns grupos antigos com sede, embora pequenas. Queremos que essas sedes se transformem em espaços de mais cultura e não seja apenas utilizadas na época de preparação do Carnaval, mas que sejam contínuas durante o ano”, asseverou.

Estes espaços e infra-estruturas, apontou, não só servirão para arrecadar receitas mas também para a formação dos jovens, porquanto há uma adesão muito forte da juventude no entrudo.

Rosa Cruz e Silva mencionou que os grupos têm estado a aparecer com falanges de apoios e alas numerosas onde despontam bailarinos mais jovens, daí que tem de haver formação em aspectos ligados ao entrudo, como dança, música e artes plásticas. (portalangop.co.ao)

- Publicidade -
- Publicidade -

Ainda sobre os enganos do discurso sobre o Estado da Nação: JLo atribui mais 6,1 mil milhões USD às RIL

ESTATÍSTICAS. Economistas consideram difícil entender lapso do Presidente da República que, ao invés de 9,3 mil milhões de dólares, disse que as Reservas Internacionais...
- Publicidade -

Activistas angolanos não cedem: Nova marcha a 11 de Novembro

Activistas culpam o Presidente João Lourenço pelos incidentes de sábado, durante a marcha em Luanda por melhores condições de vida. Segundo os organizadores, duas...

Vítimas em Cabo Delgado têm direito a ter uma história, diz Mia Couto

O escritor moçambicano Mia Couto apelou hoje à humanização do relato sobre o conflito armado em Cabo Delgado, norte do país, destacando a história...

Notícias relacionadas

Ainda sobre os enganos do discurso sobre o Estado da Nação: JLo atribui mais 6,1 mil milhões USD às RIL

ESTATÍSTICAS. Economistas consideram difícil entender lapso do Presidente da República que, ao invés de 9,3 mil milhões de dólares, disse que as Reservas Internacionais...

Activistas angolanos não cedem: Nova marcha a 11 de Novembro

Activistas culpam o Presidente João Lourenço pelos incidentes de sábado, durante a marcha em Luanda por melhores condições de vida. Segundo os organizadores, duas...

Vítimas em Cabo Delgado têm direito a ter uma história, diz Mia Couto

O escritor moçambicano Mia Couto apelou hoje à humanização do relato sobre o conflito armado em Cabo Delgado, norte do país, destacando a história...

Rui Pinto e Júdice? “Ladrão que rouba a ladrão tem cem anos de perdão…”

"Já lá diz a sabedoria popular: ladrão que rouba a ladrão tem cem anos de perdão..." Foi desta forma que Ana Gomes reagiu, no Twitter,...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.