- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Guiné-Bissau Ramos-Horta diz que sacrifício do ataque em 2008 de que foi vítima...

Ramos-Horta diz que sacrifício do ataque em 2008 de que foi vítima parou violência em Timor-Leste

7293072_UEhN5O ex-Presidente de Timor-Leste José Ramos-Horta disse hoje à agência Lusa que o ataque de que foi vítima em 2008 serviu para parar a violência no país.

“Se o sacrifício quase supremo que me foi imposto valeu de alguma coisa, valeu no sentido em que a partir daquela hora em que a notícia correu todo o mundo, e todo o Timor-Leste, de que eu fui ferido, a violência parou até hoje”, afirmou José Ramos-Horta.

A 11 de fevereiro de 2008, José Ramos-Horta foi atacado à porta de casa tendo sido atingido por duas balas, uma das quais no estômago.

O ataque foi liderado pelo major Alfredo Reinado, que morreu no atentado. O antigo comandante da Polícia Militar esteve envolvido na crise política e militar de 2006 no país, que provocou dezenas de mortos e milhares de desalojados.

“Se foi esse o preço que eu tive de pagar para que a violência acabasse no país e se foi essa a decisão de Deus, que alguém tinha de pagar e que esse seria o próprio Presidente da República, obviamente que aceitei sem rancor e perdoei aqueles que me feriram”, acrescentou o ex-Presidente timorense.

Para José Ramos-Horta, o atentado, “aparentemente sem qualquer explicação”, foi feito por um grupo de renegados, que quando perceberam que o ex-Presidente tinha ficado ferido também se “desnortearam completamente”.

“Logo a seguir escreveram-me uma carta que me foi entregue na Austrália (onde esteve internado quase dois meses) a dizer que se entregariam quando eu regressasse”, recordou José Ramos-Horta, acrescentando que se acabaram todos por entregar às autoridades.

Os elementos envolvidos no ataque foram julgados e condenados em 2009, mas acabaram por receber um indulto de José Ramos-Horta, atual representante do secretário-geral da ONU para a Guiné-Bissau.

“Cumpriram alguma pena de prisão e eu, como Presidente da República, na altura, compreendendo as circunstâncias da nossa história, como as coisas aconteceram, pesando tudo, decidi dar-lhes um indulto, perdoá-los”, disse, acrescentando que já se passaram três anos e desde que foram libertados nenhum deles causou problemas.

José Ramos-Horta terminou o seu mandato como Presidente de Timor-Leste em maio de 2012, depois de perder as eleições presidenciais ganhas por Taur Matan Ruak, atual chefe de Estado.

No início de janeiro, José Ramos-Horta foi nomeado representante do secretário-geral da ONU na Guiné-Bissau, país da África Ocidental, onde chega na próxima quarta-feira. (lusa.pt)

- Publicidade -
- Publicidade -

Bancada Central: A ética que não mora no desporto

A campanha para as eleições nas principais federações desportivas nacionais segue o seu curso normal, com os candidatos e respectivos coadjutores a desdobrarem-se em...
- Publicidade -

David Mendes condena atitude da UNITA por participar da manifestação

O deputado David Mendes, que tem ligações com a UNITA, explicou que faz o uso da sua liberdade de expressão para dizer que o...

Ana Gomes sobe à custa de Marcelo e Ventura

A candidata da área socialista é cada vez mais a pretendente a Belém com maior margem para impedir uma reeleição retumbante de Marcelo. Ana...

Burlas “matam” sonho da casa própria de milhares de famílias

Das dezenas de projectos imobiliários lançados no auge da construção em Luanda, muitos foram parar à barra do tribunal por burlas aos clientes, que...

Notícias relacionadas

Bancada Central: A ética que não mora no desporto

A campanha para as eleições nas principais federações desportivas nacionais segue o seu curso normal, com os candidatos e respectivos coadjutores a desdobrarem-se em...

David Mendes condena atitude da UNITA por participar da manifestação

O deputado David Mendes, que tem ligações com a UNITA, explicou que faz o uso da sua liberdade de expressão para dizer que o...

Ana Gomes sobe à custa de Marcelo e Ventura

A candidata da área socialista é cada vez mais a pretendente a Belém com maior margem para impedir uma reeleição retumbante de Marcelo. Ana...

Burlas “matam” sonho da casa própria de milhares de famílias

Das dezenas de projectos imobiliários lançados no auge da construção em Luanda, muitos foram parar à barra do tribunal por burlas aos clientes, que...

O tempo e o bom senso (IV)

1 - Há muito que acompanho a trajectória de Jorge Valdano, um argentino com invejável percurso no mundo do futebol (jogador, treinador, dirigente e...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.