- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Guiné-Bissau Ramos-Horta viajou para Bissau depois de abençoado em cerimónia ritual

Ramos-Horta viajou para Bissau depois de abençoado em cerimónia ritual

Díli- Dezenas de pessoas reuniram-se hoje (quinta-feira) no aeroporto de Díli para se despedirem de José Ramos-Horta, que, depois de autorizado numa cerimónia ritual, viajou para a Guiné-Bissau para assumir funções como representante especial da ONU naquele país.

Família, amigos, estudantes da Universidade Nacional de Timor-Leste e curiosos quiseram participar na despedida do Prémio Nobel da Paz e antigo chefe de Estado de Timor-Leste, que também contou com a presença do Presidente timorense, Taur Matan Ruak.

A despedida incluiu uma cerimónia tradicional timorense, que teve como principal objectivo “autorizar” a deslocação do Prémio Nobel da Paz para a Guiné-Bissau, mas também dar-lhe a força e o empenho que vai precisar para que a sua missão naquele país da África Ocidental chegue a bom porto.

“É uma cerimónia simples, cultural, que reflecte o espírito, a terra e das gentes que acompanham sua excelência o representante especial da Nações Unidas, Ramos-Horta, à Guiné”, explicou José Turquel, um dos organizadores da cerimónia.

Segundo José Turquel, a ideia é levar o espírito de Timor-Leste irmão da Guiné-Bissau aos guineenses e que juntos transformem a missão num sucesso.

“Timor-Leste tem um espírito da terra, da gente e da cultura, que vai acompanhar este ilustre filho de Timor à Guiné-Bissau”, acrescentou.

Antes de abençoado e autorizado pelos mais velhos a partir para a Guiné-Bissau, José Ramos-Horta deixou uma mensagem de confiança a todos os timorenses.

“Deixo uma mensagem de confiança, porque o país está em boas mãos. Está nas mãos do senhor  Presidente da República (Taur Matan Ruak), um herói da resistência, do senhor primeiro-ministro (Xanana Gusmão), um herói da resistência”, afirmou à agência Lusa.

Para o Prémio Nobel da Paz, a situação em Timor-Leste é de paz e estabilidade e o país vai continuar a conhecer um forte crescimento económico.

“Portanto, parto com tranquilidade, sabendo que deixo para trás um país diferente do que foi em 2006 e 2007″, disse, lembrando que a sua missão é temporária e que em breve regressa a Timor-Leste.

Em 2006, Timor-Leste viveu uma grave crise política e militar que provocou dezenas de mortos e milhares de desalojados, o que levou as autoridades timorenses a pedirem às Nações Unidas uma missão de manutenção de paz para o país. (portalangop.co.ao)

- Publicidade -
- Publicidade -

Presidente do PRS: “Quem adiou as autarquias em Angola foi o Presidente da República”

A acusação é de Benedito Daniel, presidente do Partido de Renovação Social (PRS), em réplica ao discurso sobre o "Estado da Nação" proferido pelo...
- Publicidade -

Moçambique: Cadeia provincial de Inhambane sobrelotada e sem condições

A cadeia provincial de Inhambane, no sul de Moçambique, tem o dobro de reclusos que a sua capacidade poderia suportar. Detidos ouvidos pela DW África reclamam falta...

Valentino Rossi acusa positivo à Covid-19 e falha GP de Aragão

Valentino Rossi informou recentemente que acusou positivo no teste feito à Covid-19. O piloto italiano de MotoGP não se estava a sentir bem, como...

Henri Lopes: “No Congo, a independência era assustadora”

Ex-primeiro-ministro e ex-embaixador do Congo na França, o escritor Henri Lopes conta a atmosfera confusa que reinou no Congo nas décadas de 1960 e...

Notícias relacionadas

Presidente do PRS: “Quem adiou as autarquias em Angola foi o Presidente da República”

A acusação é de Benedito Daniel, presidente do Partido de Renovação Social (PRS), em réplica ao discurso sobre o "Estado da Nação" proferido pelo...

Moçambique: Cadeia provincial de Inhambane sobrelotada e sem condições

A cadeia provincial de Inhambane, no sul de Moçambique, tem o dobro de reclusos que a sua capacidade poderia suportar. Detidos ouvidos pela DW África reclamam falta...

Valentino Rossi acusa positivo à Covid-19 e falha GP de Aragão

Valentino Rossi informou recentemente que acusou positivo no teste feito à Covid-19. O piloto italiano de MotoGP não se estava a sentir bem, como...

Henri Lopes: “No Congo, a independência era assustadora”

Ex-primeiro-ministro e ex-embaixador do Congo na França, o escritor Henri Lopes conta a atmosfera confusa que reinou no Congo nas décadas de 1960 e...

RDC: batalha entre Kabila e Tshisekedi pelo controle do Tribunal Constitucional

Félix Tshisekedi e seu antecessor Joseph Kabila têm travado uma batalha feroz pelo controle do Tribunal Constitucional há várias semanas. Na véspera da posse dos...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.