- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Editorial de Jornal de Angola aponta Portugal como mais do que um...

Editorial de Jornal de Angola aponta Portugal como mais do que um “país amigo”

Portugal é hoje apontado no editorial do diário estatal Jornal de Angola como mais do que um “país amigo”, numa altura em que o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Paulo Portas, efetua uma visita oficial ao país.

“Os amigos conhecem-se nos momentos difíceis. Os angolanos sabem estender a mão da amizade a todos os que precisam, sem olhar a conveniências ou retornos. Portugal é um país amigo e mais do que isso: o executivo definiu-o como um parceiro estratégico”, é como começa o primeiro parágrafo do texto, intitulado “Crescemos juntos”.

O editorial, publicado no segundo dia da visita oficial do chefe da diplomacia de Portugal, Paulo Portas, a Angola, reconhece ao governante português diferenças relativamente a outros políticos, que o Jornal de Angola acusa de descerem ao “patamar do insulto contra os governantes angolanos”.

“Ao ouvir as suas declarações ontem [terça-feira] no Palácio da Cidade Alta, não pudemos deixar de pensar no abismo que separa a sua intervenção de outras protagonizadas por políticos com grandes responsabilidades e que descem ao patamar do insulto contra os governantes angolanos, envenenando as relações com ódios e ressentimentos de todo injustificados”, lê-se no editorial.

Paulo Portas, que foi recebido terça-feira pelo Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, a quem classificou como “um dos grandes líderes africanos”, anunciou que Portugal e Angola realizam este ano a sua primeira cimeira bilateral.

“Estamos a desenvolver uma cooperação sólida. Os povos de Angola e Portugal estão ligados por laços históricos e culturais”, salienta o Jornal de Angola, que recorda os efeitos do 25 de abril de 1974, que, assinala, “ajudou à libertação definitiva dos angolanos”.

O Jornal de Angola destaca ainda da declaração de terça-feira de Paulo Portas as referências à importância do crescimento das exportações portuguesas para Angola.

“Temos a certeza de que somos acompanhados pelos angolanos neste voto: que daqui a um tempo, com a cimeira bilateral agora anunciada, Paulo Portas regresse a Angola e anuncie que Portugal saiu da crise e continua a caminhar de mãos dadas com Angola para o crescimento económico e o progresso”, acentua o editorial.

O Jornal de Angola sublinha também os “esforços gigantescos” nos dois países para a criação de riqueza e postos de trabalho, frisando que, se for possível criar sinergias, Portugal e Angola vão “seguramente crescer juntos”.

Portugal “tem muito para oferecer a Angola nesta fase da reconstrução nacional” e a “colaboração de quadros especializados portugueses e conhecedores de Angola não é o menos importante, pelo contrário”, salienta o Jornal de Angola, considerando que Portugal pode transferir para Angola tecnologia, conhecimento, investigação, mão-de-obra especializada e ajudar a promover o comércio, a agricultura e o turismo, setores fundamentais na criação de emprego e no combate à pobreza.

“Angola tem matérias-primas que fazem falta à economia portuguesa. O crescimento económico que Angola regista liberta também fundos apreciáveis para investimentos num país que, além de falar a mesma língua e partilhar connosco um mundo de gostos e afetos, é uma potência mundial na área do turismo e desenvolveu serviços ao nível do melhor que existe no mundo”, assinala.

A amizade que une os dois países “tem de servir” para o crescimento dos dois países e não apenas para declarações de boas intenções que depois não têm correspondência na vida real, devido ao que o Jornal de Angola identifica como “forças de bloqueio, prontas a prejudicar uma relação que se quer exemplar dentro do relacionamento entre África e Europa”.

A concluir, o editorial defende que o que está em jogo “é tão grandioso, que os pequenos acidentes de percurso, as atitudes disparadas com acrimónia por setores da política portuguesa, as faltas de respeito e as deslealdades que prosperam em Lisboa contra Angola e magoam, não vão conseguir destruir a nova relação que nasceu com o 25 de Abril de 1974”.

“Temos tudo para crescer juntos”, termina o texto. (lusa.pt)

- Publicidade -
- Publicidade -

A segunda parte do Lourencismo

O próximo sábado, 24 de Outubro, voltará a ser um dia tenso em Luanda. Em contexto de profunda crise económica, desemprego e carências, jovens...
- Publicidade -

FMI: Angola não recupera da pandemia até 2024

O Fundo Monetário Internacional (FMI) considerou hoje num relatório que as maiores economias da África subsaariana, onde se inclui Angola, não deverão recuperar os...

PNUD e IGAE assinam memorando com vista ao combate à corrupção

As duas instituições pretendem trabalhar para a elaboração de instrumentos legais que visam a avaliação de riscos contra a corrupção e previsão de medidas...

Falta de limpeza nas valas de drenagem preocupa moradores

Os moradores do bairro Rocha Pinto pedem “intervenção urgente” da Administração do Distrito da Maianga para limpeza da vala de drenagem do canal 3,...

Notícias relacionadas

A segunda parte do Lourencismo

O próximo sábado, 24 de Outubro, voltará a ser um dia tenso em Luanda. Em contexto de profunda crise económica, desemprego e carências, jovens...

FMI: Angola não recupera da pandemia até 2024

O Fundo Monetário Internacional (FMI) considerou hoje num relatório que as maiores economias da África subsaariana, onde se inclui Angola, não deverão recuperar os...

PNUD e IGAE assinam memorando com vista ao combate à corrupção

As duas instituições pretendem trabalhar para a elaboração de instrumentos legais que visam a avaliação de riscos contra a corrupção e previsão de medidas...

Falta de limpeza nas valas de drenagem preocupa moradores

Os moradores do bairro Rocha Pinto pedem “intervenção urgente” da Administração do Distrito da Maianga para limpeza da vala de drenagem do canal 3,...

Bonga realiza espectáculos em Portugal e lança novo álbum nos 45 anos da independência de Angola

O projecto conta com mais de uma dezena de artistas, que atuam no dia da independência, 11 de novembro, no Teatro Capitólio, no Parque...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.