Portal de Angola
Informação ao minuto

Aberto concurso para serviço público no Caminho-de-Ferro de Moçâmedes

Pelo menos 100 empresas do ramo de prestação de serviços das províncias de Luanda, Namibe, Huíla, Benguela, Huambo e Kuando-Kubango participam no concurso público para a terciarização dos serviços nas carruagens e nas estações de serviços do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes.
Para se candidatar à terciarização de várias áreas propostas pela direcção do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes, o concorrente deve estar conectado a várias instituições públicas, como o Banco Nacional de Angola e direcção do Comércio.
O coordenador da comissão de avaliação dos concursos públicos do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes, Adriano da Silva, revelou que participam no concurso empresas para prestarem serviços de estiva (carga e descarga de mercadorias e passageiros), limpeza, refeitório nas carruagens, locomotivas e estações do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes.
Adriano da Silva disse que a apresentação de propostas à direcção dos CFM durou 30 dias e concorreram ainda empresas que vão implantar outras áreas sociais nas estações especiais, de primeira, segunda e terceira classe, ao longo da linha-férrea que liga as províncias do Namibe e do Kuando-Kubango, passando pela Huíla.
Adriano da Silva acrescentou ser igualmente imperioso que o empresário ou a empresa concorrente tenha o alvará comercial actualizado e a componente fiscal regularizada com o Estado. O também administrador não executivo do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes mostrou-se satisfeito pelo número de empresas candidatas ao concurso, o que permite apurar empresas e empresários à altura de corresponder aos anseios daquela direcção.
“Vão ser terciarizadas áreas de limpeza, refeitório e restauração dos comboios e das estações especiais, de primeira, segunda e terceira classe das províncias do Namibe, Huíla e Kuando-Kubango”, indicou  Adriano da Silva. O presidente do Conselho de Administração do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes, Daniel Quipaxe, afirmou que a empresa assume-se como entidade empresarial vocacionada para o transporte de passageiros, mercadorias e correios.
Daniel Quipaxe pediu às empresas concorrentes para confiarem na comissão de avaliação que vai efectuar um apuramento responsável e transparente para o bom funcionamento dos CFM. Com uma extensão de 907 quilómetros, o Caminho-de-Ferro de Moçâmedes possuem três estações especiais nas cidades do Namibe, Lubango e Menongue.

O Caminho-de-Ferro de Moçâmedes têm também oito estações de primeira classe, duas na província do Namibe e outras no município de Quipungo, Matala, Dongo Novo, Entroncamento, Mukanka e Jamba, na Huíla. Têm ainda 12 estações de segunda e 35 de terceira classe, segundo o presidente do Conselho de  Administração .

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »