Portal de Angola
Informação ao minuto

Restrições no fornecimento de energia a Luanda vão acabar após conclusão de novos projectos

O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, visitou ontem as obras de reabilitação e construção de novas subestações de energia eléctrica em Luanda.

Visivelmente animado com o que viu, especialmente na Central Térmica do Cazenga, João Baptista Borges pôde avaliar o andamento das obras.
O ministro visitou ainda a Central Térmica da Samba, com capacidade para 40 megaWatts e que está em fase de construção, a do Morro Bento, com 40 megaWatts, e a Central do Benfica, com 40 megaWatts, que funciona com a Central Térmica da Agreco, com 14 megaWatts.
O ministro visitou também a Central Térmica de Viana do Quilómetro 9 em fase de construção, com uma capacidade de 40 megaWatts, a subestação do Cazenga, a cargo da ENE (Empresa Nacional de Electricidade), com capacidade para 220/60 quiloWatts, e da EDEL, com capacidade de 60/15 quiloWatts.
João Baptista Borges visitou igualmente a central térmica do Cazenga, cujas turbinas 1, 2 e 3 estão a ser reabilitadas.
O presidente do Conselho de Administração da ENE, José Neves, lembrou que as restrições no fornecimento de energia eléctrica fazem-se sentir devido ao baixo nível da albufeira da barragem de Capanda. Os projectos em curso, esclareceu, são de produção e de transporte de energia eléctrica e visam mitigar o impacto das restrições que se têm verificado.
O PCA da ENE informou que a subestação da ENE no Cazenga, com capacidade para 220/60 quiloWatts, vai beneficiar não apenas os moradores do município, mas também os habitantes dos bairros Palanca e Popular.
José Neves anunciou também a entrada em funcionamento, para a próxima quinta-feira, 4 de Outubro, da central térmica do Benfica. A construção, fornecimento e montagem da subestação de 220 kiloWatts, localizada no Cazenga, é da responsabilidade da ENE e será alimentada pela subestação principal de Viana, que, por sua vez, vai alimentar algumas subestações a cargo da EDEL.
O PCA disse também que estão em construção as centrais térmicas do Benfica, com capacidade de 40 megaWatts, do Quartel do Grafanil, com capacidade de 30 megaWatts e dos Caminhos-de-Ferro de Luanda (três), com capacidade de 30 mega watts cada.
José Neves frisou que, com a construção e montagem da central do Quilómetro 9, com capacidade de 40 megaWatts, Viana terá a situação do fornecimento de energia melhorada.
O PCA da ENE acrescentou que os projectos estão em fase de acabamento, com o prazo de entrega previsto para Outubro ou Novembro deste ano.
A situação de estiagem prolongada que se está a verificar na bacia do médio Kwanza desde o ano 2011 constitui motivo de preocupação para o Executivo angolano, cujo Plano de Segurança Energético Nacional consiste em consolidar a matriz energética do país, com a entrada de mais fontes alternativas a partir de recursos tanto térmicos quanto renováveis, de forma que a demanda em electricidade não sofra nenhuma diminuição.
O director-geral do Gabinete de Aproveitamento do Médio Kwanza (GAMEK), Eurico Ferreira, informou recentemente que os técnicos da Barragem de Capanda estão a gerir a água acumulada na albufeira, resultantes das últimas chuvas.
“Estamos em presença do segundo ano seco, razão pela qual o nível de água no reservatório da barragem está baixo. Desta forma, temos apenas três grupos geradores a produzir uma potência de 80 megaWatts cada, muito abaixo das reais capacidades”, salientou. Apesar dessa gestão, o director previu um período mais crítico, iniciado no dia 9 de Setembro deste ano, em que foi necessário tirar de funcionamento um grupo gerador, reduzindo assim a produção para 160 megaWatts.
Localizada na província de Malange, a barragem de Capanda fornece energia eléctrica à Luanda, Malange, Uíge, Kwanza-Norte, Kwanza-Sul e Bengo, sendo que a capital do país absorve quase cerca de 80 por cento da produção total.

FONTE: JA

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »