Ler Agora:
Diário Olímpico: Piscina Olímpica primeiro ring de duelos dos Jogos
Artigo completo 4 minutos de leitura

Diário Olímpico: Piscina Olímpica primeiro ring de duelos dos Jogos

Quatro anos depois da China sediar os Jogos Olímpicos pela primeira-vez na história, a maior competição desportiva do planeta volta à Europa. Londres torna-se a primeira cidade a receber por três vezes os Jogos. Depois de uma cerimónia de abertura absolutamente fantástica que durou mais de duas horas e custou 35 milhões de euros, a luta pelas medalhas e recordes olímpicos vai começar.

Alguns deles já foram batidos: estes são os primeiros jogos em que todas as nações serão representadas por homens e mulheres, depois do Qatar, Arábia Sáudita e Brunei terem autorizado a participação feminina em Londres. O sul-coreano Im Dong Hyun do tiro com arco conseguiu esta sexta-feira o primeiro recorde mundial dos Jogos com uma pontuação de 699 em 72 setas durante as provas perliminares no famoso campo de críquete de Lord’s.

Primeiras provas:

Este Sábado, a piscina olímpica estará no centro das atenções. Michael Phelps salta do bloco de partida para bater o recorde de medalhas olímpicas (18) que pertence à ginasta Latynina.

O nadador de 28 anos ganhou oito medalhas em Pequim. Phelps coleciona dezasseis medalhas em duas participações nos Jogos Olímpicos e tem entre mãos a possibilidade de tornar-se no melhor atleta olímpico de sempre. O nadador de Baltimore pode ainda contribuir para aumentar o número de medalhas de ouro dos Estados Unidos, que em 2008 perdeu para a China o recorde de ouros, pela primeira vez na história.

No bloco ao lado Phelps terá o seu grande adversário, o compatriota Ryan Lochte.
Os dois, que também vão unir forças nas estafetas, vão defrontar-se apenas nos 200 e nos 400m estilos. A distância mais longa é a primeira final da competição já este Sábado.

Atletismo

E se nos primeiros dias, Phelps irá concentrar todas as atenções, na segunda semana do evento Usain Bolt terá todos os holofotes na sua direção. O jamaicano foi o mais rápido na China, triunfando nos 100 e 200 metros, mas nos últimos quatro anos, o outro Jamaicano, Yohan Blake, já provou que pode derrotar o homem mais rápido de Pequim. Blake dominou e venceu a final dos 100m nos Mundiais de Daegu, ainda que Bolt tenha sido surpreendentemente desqualificado por falsa partida. O americano Tayson Gay campeão do mundo dos 100 e 200 metros em 2007 pode criar incomodos à dupla.

Nas modalidades coletivas, os EUA estão obrigados a vencer se quererem superar a China no número de medalhas, já que os orientais deverão ter estrada livre para colecionar medalhas na Ginástica, Tiro, Tiro com Arco, Ténis de Mesa, Badmínton e Saltos para a Água.

Os norte-americanos são candidatos às medalhas no voleibol masculino, basquetebol e polo aquático, mas os rivais Brasil e Rússia no voleibol, Espanha no basquetebol e Itália e Sérvia no polo aquático não irão facilitar a tarefa.

No futebol feminino, as norte-americanas são as mais cotadas para repetir o ouro de Pequim, enquanto uma final entre Brasil e Espanha é a mais esperada para o futebol masculino.

Também será interessante ver o desempenho do tenista da casa, Andy Murray, em Wimbledon. O número um do mundo, Roger Federer e o servo Novak Djokovic apresentam-se em Londres como os grandes favoritos ao triunfo, mas Andy Murray já perdeu uma final diante do público britânico em Wimbledon este ano e provavelmente não quererá desperdiçar uma chance como esta.

Outro duelo feroz dos Jogos Olímpicos será no ciclismo de estrada entre Peter Sagan e Mark Cavendish. Os dois foram o grande destaque nas etapas de sprint do Tour de França. O eslovaco levou a camisola verde, enquanto Cavendish levou a glória de vencer a etapa de Paris pela quarta-vez consecutiva.

Portugal em Londres

A delegação portuguesa levou 77 atletas até Londres, igualando o número de Pequim, mas as esperanças por medalhas desta vez são menos visto as falhas de Nelson Évora e Vanessa Fernandes.

A judoca Telma Monteira é uma das candidatas ao pódio. É no judo onde Portugal tem na realidade maiores chances de alcançar o pódio, atendendo a ascensão de João Pina.

A dupla Emanuel Silva e Fernando Pimenta podem também lutar por lugares cimeiros na canoagem.

Destaque ainda para o velejador João Rodrigues que vai estar nos Jogos Olímpicos pela sexta vez, um recorde nacional.

O atletismo é a modalidade que vai ter mais representantes portugueses: 24, no total. Seguem-se vela, com 13 participantes, e natação com oito.

Fonte: EURONEWS

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »