Atletas medalhados vão ser examinados

Os Jogos Olímpicos de Londres prometem a maior operação anti-doping da história. Metade dos competidores será testada em exames antidoping, bem como todos os atletas que conquistarem medalhas, informam os organizadores. Além disso, as mudanças na performance dos atletas serão observadas.
Haverá 150 cientistas para tirar 6 mil amostras entre o início dos Jogos Olímpicos e o fim dos Para-Olímpicos. No total, o laboratório antidoping terá uma equipa de mil pessoas, para fazer 400 testes diários em busca de 240 substâncias proibidas pela Wada, a agência mundial antidoping.
Segundo John Fahey, presidente da Wada, nos últimos seis meses “pelo menos 107 atletas de modalidades olímpicas de Verão foram sancionados e banidos dos Jogos de Londres”.

Passaporte biológico

Nas semanas que antecederam os Jogos de Londres de 2012, nove competidores de atletismo foram banidos, sendo seis deles apanhados pelo chamado “passaporte biológico” dos atletas, que será usado pela primeira vez neste ano.

Esse “passaporte biológico” controla variações no sangue do atleta – algo que já é feito no ciclismo profissional, segundo a agência Associated Press – e será usado em Londres para observar mudanças de performance de competidores de atletismo, natação, ciclismo, remo, pentatlo e triatlo.
A Wada também adoptará novos testes para identificar abusos na ingestão de hormónios de crescimento, uma das maiores preocupações das autoridades em Londres, já que são de difícil identificação.
Ainda assim, e apesar da promessa de uma grande operação antidoping, as autoridades hesitam em classificar os Jogos de Londres como os mais “limpos” da história.
“Você tem que perguntar isso aos 10 mil atletas que estão aqui em Londres”, disse o director-geral da Wada, David Howman. “Porque a responsabilidade tem que recair sobre os ombros deles, de provar ao Mundo que eles vieram para cá limpos”, enfatizou.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »