InicioCulturaQuotidiano de Maputo é encenado pelo Lareira

Quotidiano de Maputo é encenado pelo Lareira

“A Cavaqueira do Poste” é o título da peça que o Colectivo de Artes Lareira, de Moçambique, apresenta hoje às 20h30, no palco do Elinga, na Baixa de Luanda, na segunda edição do Festival Internacional de Teatro e Artes.
A peça, com a duração de uma hora, gira em torno da crise financeira mundial e aborda, entre outras questões, a ganância, a tristeza, o amor e o humor. Sérgio Mabombo, autor do texto, adiantou que ele incide sobre a corrupção de funcionários ávidos em quererem sempre mais e o impacto das excessivas diferenças sociais, fenómenos que se reflectem no quotidiano dos moçambicanos.
As personagens – o mendigo Calvino, cego, e Tendeu, deficiente dos membros superiores – são dois sonhadores que, por vários motivos, abandonam as suas casas e terminaram nas esquinas da cidade de Maputo, onde partilham diariamente restos de alimentos retirados dos contentores de lixo e conversas por vezes sérias e outras nem tanto.
Encenada por Elliot Alex, a peça apresenta momentos de humor em que as personagens recordam que viver dá prazer quando se está de barriga cheia. “O principal tema de conversa é a crise financeira mundial, onde se questionam se foi causada pela miséria e a má distribuição dos recursos, mas para eles esta escassez de valores nas reservas dos Estados afectados podia ser vista pelo Governo moçambicano como oportunidade para se desenvolver”, explica o autor.
Estreada em Novembro 2010, no Centro Cultural Franco-Moçambicano, em Maputo, “A Cavaqueira do Poste” já foi distinguida no festival da CPLP (FESTLUSO). O Colectivo de Artes Lareira é formado por artistas com mais de 20 anos de carreira, que desenvolvem a sua actividade em diferentes áreas, como cinema, teatro, dança e humor.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.