InicioDestaquesFim do comercio ilícito de medicamentos depende do seu fácil acesso

Fim do comercio ilícito de medicamentos depende do seu fácil acesso

Luanda – A garantia do acesso aos medicamentos à população, bem  como a criação de políticas para que as farmácias tenham preços mais acessíveis podem acabar com a venda informal de medicamentos em Angola considerou hoje, segunda-feira, em Luanda, o director da Direcção Nacional de Medicamentos, Boaventura Moura.

O responsável, que falava em declarações à Angop, acrescentou que se assim acontecer nenhum cidadão ira recorrer aos vendedores de rua para adquirir medicamentos, porque o preço que estes oferecem ainda são muito baixos em relação às farmácias.

Por outro lado, apelou à população a analisar que apenas a farmácia tem condições para a sua venda.

Para si, em saúde, em qualquer parte do mundo, o barato e o bom muita das vezes não combinam, trata-se do bem mas precioso que é a vida humana.

“O lugar de medicamento é na farmácia que segue o parâmetros de conservação de medicamentos e ao contrário do comércio na rua que é feito por pessoas não habilitadas, a venda de medicamentos é ilegal e é um perigo a saúde, pois pode matar”, frisou.

Considerou haver um número positivo de farmácia em todo país (1.052), embora reconheça que algumas devem melhorar a sua qualidade.

Fonte: Angop

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.