InicioAngolaPouco contacto com ambientes naturais aumenta incidência de casos de alergia

Pouco contacto com ambientes naturais aumenta incidência de casos de alergia

A falta de exposição à natureza pode estar a aumentar a incidência de asma e de outras alergias entre moradores das cidades em todo o mundo, refere um estudo finlandês.
Os cientistas dizem que certas bactérias, mencionadas noutros estudos como benéficas para a saúde humana, são encontradas em maior abundância em ambientes rurais.
Esses microrganismos cumprem um papel importante no desenvolvimento e manutenção do sistema imunológico, salientaram os autores do estudo, cujas conclusões foram divulgadas na publicação científica “Proceedings of the National Academy of Sciences”.
“Existem micróbios em todo o lado, inclusivamente em áreas urbanas, mas os dos ambientes naturais são mais benéficos para nós”, disse, à BBC, um dos autores da pesquisa, Ilkka Hanski, da Universidade de Helsínquia.

Função especial
Para realizar a pesquisa, a equipa colectou amostras de pele de 118 adolescentes finlandeses e concluiu que os que viviam em quintas ou perto de florestas tinham maior diversidade de bactérias e eram menos sensíveis a alergias.
Ilkka Hanski afirmou que as bactérias são benéficas porque promovem a microbiota, o conjunto de microrganismos que formam colónias dentro do corpo ou sobre a pele, mas sem provocar doenças.  Estes microrganismos, disse, são importantes “para o desenvolvimento e manutenção do sistema imunológico”.
O estudo também permitiu à equipa identificar um grupo de bactérias, conhecidas como gama proteobactérias, que têm uma “função especial”.
Um dos tipos de gama proteobactéria, chamada acinetobacter, foi “fortemente associado ao desenvolvimento de moléculas anti inflamatórias”.  “Basicamente, o estudo científico revelou que, quanto maior for a quantidade dessa bactéria maior possibilidade tem a pele de dar respostas imunológicas capazes de suprimirem reacções inflamatórias provocada, por exemplo, pelo pólen ou animais”, salientou.
O cientista referiu que as gama proteobactérias são encontradas em maior quantidade em ambientes vegetais, como florestas e terras usadas para a agricultura, do que em ambientes urbanos e na água.
“A urbanização pode ser vista como uma oportunidade perdida, para muitas pessoas, de interagir com o meio natural e a sua biodiversidade, inclusive as comunidades de micróbios”, frisou.
Ilkka Hanski admitiu não ser possível reverter a tendência global de urbanização, mas recordou que há uma série de opções para aumentar o contacto com ambientes naturais.
“Além de preservar áreas naturais fora de áreas urbanas, é importante fazer um planeamento de cidades, que inclua espaços, cinturões e infra-estrutura verdes”, sublinhou a especialista finlandesa.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.