Radio Calema
InicioMundo LusófonoMoçambique é "chave" para Portugal sair da crise, considera o presidente do...

Moçambique é “chave” para Portugal sair da crise, considera o presidente do AICEP

Presidente da AICEP defende aposta num país “cheio de pontencialidades”.

O presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) defendeu hoje que Moçambique é “uma das chaves” para a saída da crise de Portugal, sendo um país “cheio de potencialidades” no qual se deve apostar.

Moçambique é um “país cheio de potencialidades, que se encontra num momento crítico positivo de mudança de patamar económico e esse momento crítico [está] alinhado com o nosso momento de internacionalização”, defendeu Pedro Reis durante a abertura de uma sessão de trabalho sobre o mercado moçambicano, a decorrer na Exponor, organizado com o apoio da AEP.

Para o presidente da AICEP “se a diversificação dos mercados estratégicos [de Portugal] é uma porta para o futuro, para a saída da crise do país, Moçambique é claramente uma das suas chaves”.

Também Paulo Nunes de Almeida, vice-presidente da Associação Empresarial de Portugal (AEP) defendeu que “Moçambique está na moda neste momento”, lembrando a necessidade de diversificar os mercados de exportação de Portugal que mostra uma “grande dependência” dos países da União Europeia.

PIB estimado em 9,2 mil milhões de euros

De acordo com dados hoje divulgados por Fernando Carvalho, diretor do Centro de Negócios da AICEP em Moçambique, aquele país tem um PIB estimado em 12 mil milhões de dólares (9,2 mil milhões de euros), correspondendo a cerca de 400 dólares (308 euros) por habitante.

Se nos últimos anos a taxa do PIB tem assistido a um crescimento de sete a oito por cento, sempre acima das taxas dos países subsaarianos, a perspetiva do FMI é que este crescimento se mantenha em torno dos oito por cento nos próximos anos.

Moçambique tem também revelado “capacidade de resistência à crise” que afetou os mercados internacionais a partir de 2007, notando-se uma tendência para reduzir a inflação que se prevê chegar aos sete por cento no final de 2012.

A partir de 2008 assistiu-se um “crescimento assinalável” no nível de exportações de Portugal que é o quinto principal fornecedor de Moçambique, tendo em 2010 sido o principal investidor naquele país.

Nos próximos 10 anos, prevê a AICEP, os investimentos, privados e públicos, em Moçambique poderão rondar os 80 mil milhões de dólares, existindo um “conjunto vasto de oportunidades” nas áreas da construção e obras públicas, energia, máquinas e equipamentos, habitação e turismo, logística e serviço às empresas, agricultura e produtos de consumo.

FONTE: Expresso

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

Responder a elsa teixeira Cancelar resposta

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.