InicioAngolaComboio no Luena já no mês de Agosto

Comboio no Luena já no mês de Agosto

O comboio dos Caminhos-de-Ferro de Benguela (CFB) chega ao Luena (Moxico) em Agosto deste ano, para fazer a ligação com a região austral do continente africano através da fronteira com a Zâmbia, anunciou na sexta-feira, no Lobito, o ministro dos Transportes. Augusto Tomás, que intervinha no quinto seminário das “Empresas felizes” que decorreu na Casa do Pessoal do Porto do Lobito, garantiu que, até ao final deste ano, o comboio chega ao Luau (Moxico), último destino do CFB na ligação com a República da Zâmbia, e garantiu que estão a ser feitos “avanços extraordinários” que vão dar um enorme contributo para o desenvolvimento do país.
Ao dirigir-se aos funcionários do Caminho-de-Ferro de Benguela e da Escola Nacional de Formação Rodoviária Comandante Nzaji, disse que o comboio já apitou experimentalmente no Bié e que neste momento faltam menos de 30 quilómetros para a linha férrea chegar ao Luau.
“Temos de continuar a trabalhar juntos para o desenvolvimento. Queremos ver a economia nacional sempre a crescer de modo sustentado e a riqueza a aumentar, para termos mais para distribuir e melhorar a vida de todos”, salientou.

Novas locomotivas

O presidente do conselho de administração do CFB, José Carlos Gomes, afirmou que a modernização obrigou a empresa a investir na aquisição de oito locomotivas, 66 carruagens, das quais 48 já se encontram na cidade do Lobito, e 94 vagões, cuja entrega começou em Abril e termina em Julho.
A empresa investiu na execução de ramais e ligações ferroviárias e necessita de seis unidades múltiplas para o transporte de 380 passageiros, nos troços Lobito/Benguela e Calenga/Huambo. Carlos Gomes revelou que as previsões de transportação apontam para quatro milhões de passageiros e 20 milhões de toneladas por ano.
As obras de reabilitação e modernização do CFB começaram em 2008 e devem ficar concluídas até finais de 2012, para facilitar o escoamento de produtos do campo para o litoral e criar oportunidades de negócios. Além do contributo para a circulação de pessoas e bens, o CFB vai aproximar as localidades que se encontram ao longo da linha e ligar Angola às redes ferroviárias de países vizinhos, nomeadamente, a República Democrática do Congo e a Zâmbia. O Caminho-de-Ferro de Benguela possui actualmente 1.321 trabalhadores. Em 2011 transportou 129.430 passageiros e 5.640 toneladas, efectuando duas viagens diárias no troço Lobito/Benguela, uma semanal para o Huambo e três por semana entre Lobito/Cubal.

Motivação

O vice-governador de Benguela, Agostinho Estêvão Felizardo, desmentiu que os trabalhadores do CFB estejam desanimados. “Não corresponde à verdade, porque os trabalhadores não olham a sacrifícios para pôr a empresa no lugar de destaque que ela merece e granjear a credibilidade que sempre teve”, disse.  “Sem problemas não há vida e é claro que nós também temos problemas.  A vida é feita de altos e baixos, e quando nos encontramos nesta situação temos de encontrar mecanismos para sair do fundo do poço e voltar a subir.  E é isso que os trabalhadores do CFB têm feito, continuam com optimismo e esperança e continuam a acreditar num futuro melhor”, reconheceu. Os funcionários do Caminho-de-Ferro de Benguela e da Escola Nacional de Formação Rodoviária Comandante Nzaji receberam viaturas.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.