InicioAngolaRegiõesMau estado das vias em Luanda cria dificuldades a empresas de táxi

Mau estado das vias em Luanda cria dificuldades a empresas de táxi

O estado degradado de algumas vias rodoviárias em Luanda impede as empresas de rádio-táxis de aceitarem determinadas corridas solicitadas pelos passageiros, disse à Angop o coordenador da comissão instaladora da empresa Afri-táxi.
Convidado a comentar a qualidade dos serviços prestados pelas novas empresas de rádio-táxis em Luanda, José Rasak afirmou que a sua empresa tem sido forçada, em algumas ocasiões, a não realizar percursos com muitas solicitações, apenas porque as estradas nessas zonas estão intransitáveis.
A título de exemplo, apontou a rua Kima Kienda, na zona da Boavista, arredores do Porto Comercial de Luanda, pela qual a empresa vai deixar de circular devido ao mau estado em que a via se encontra.
“Naquela zona, a circulação faz-se em péssimas condições e, vezes sem conta, as nossas viaturas ficam avariadas, o que nos causa sérios prejuízos”, sublinhou.
Mas há outras ruas onde também é quase impossível transitar, como a de Senado da Câmara, Ngola Kiluange e Lueji Ankonda, entre outras. Acerca do serviço realizado no Aeroporto 4 de Fevereiro, adiantou que a Afri-táxi não tem capacidade para dar cobertura ao número crescente de passageiros que solicitam os seus serviços. Por isso, considera positivo que tenham surgido novas operadoras de rádio-táxi, como a Morvic e a Libolense, que têm ajudado a dar resposta à procura de serviços personalizados de táxi.
“Um voo internacional transporta em média 250 passageiros. Se metade dessas pessoas necessitar de serviço de táxi, certamente que uma só operadora não é capaz de dar cobertura, pelo que a entrada de outras é sempre bem-vinda”, declarou.
José Rasak considerou que os taxistas informais – candongueiros – têm criado embaraços ao funcionamento das empresas de rádio-táxi no perímetro do aeroporto e fazem concorrência desleal.

A actividade da Afri-táxi no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro tem início às 6h00 e termina às 22 horas. A operadora tem 100 viaturas a circular por toda a província de Luanda.
O passageiro paga inicialmente 300 kwanzas pela chamada bandeirada e em seguida o taxímetro vai contando, em função da quilometragem e do tempo.

FONTE: JA

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. disculpa eu não entede divida mente alguem pode mi dizer porque o taxi vai subir 300 kz,,, e muito money quase 5usd
    assim vam far k o nosso izecutivo esta a trabalhar bem…….

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.