InicioAngolaMinistra garante que executivo pretende valorizar cada vez mais a comunicação social

Ministra garante que executivo pretende valorizar cada vez mais a comunicação social

A estratégia do Executivo para o sector da comunicação social para o ano em curso prevê, entre outras acções, mobilizar condições e contribuir objectivamente para uma informação plural, isenta, independente e responsável no quadro dos princípios de um Estado de Direito democrático, anunciou ontem em Ndalatando a ministra Carolina Cerqueira.
Carolina Cerqueira, que discursava no encerramento da palestra subordinada ao tema “As novas vozes: a liberdade da media ajuda a transformar as sociedades”, em alusão ao Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, garantiu que é igualmente missão do sector o desenvolvimento de uma política de informação que materialize e dinamize as conquistas alcançadas relativamente à liberdade de imprensa como expressão de liberdade dos cidadãos, assim como estimular o respeito pelo princípio da deontologia e ética profissional, relativo à actividade de comunicação e à liberdade de expressão dos cidadãos.
A ministra referiu que a liberdade de expressão, designadamente a manifestada através da comunicação social, não constitui um direito absoluto e ilimitado que se possa sobrepor aos demais direitos e valores. O direito de exprimir livremente o pensamento, disse, está sujeito a limitações resultantes da colisão com outros direitos fundamentais com igual valência normativa.
A ministra sustentou que, para que este direito seja exercido de forma sã, é fundamental proporcionar aos jornalistas um conjunto de formações e conhecimentos para aquisição de competências para práticas que ajudem a alterar atitudes e comportamentos, de forma a garantir mais credibilidade da imprensa, um jornalismo como instituição de cidadania, para que os órgãos de comunicação social actuem com responsabilidade social e sejam regidos por uma ética que preserve, acima de tudo, os direitos do cidadão. “Angola é hoje uma nação nova, que se constrói, reconstrói e se reinventa a cada dia, com o esforço singular de cada cidadão que, somado à visão política e estratégica do Presidente da República, tem elevado a nação aos mais altos patamares, a nível do continente africano e fóruns internacionais”, disse.

Imagem da Nação

A ministra disse ser importante que os jornalistas promovam a divulgação e promoção da imagem de uma nova Angola além fronteiras, para que qualquer pessoa com acesso aos meios de informação possa conhecer os esforços para o desenvolvimento do país.
Carolina Cerqueira disse que para que essa informação chegue aos destinatários é necessário “viabilizar e potenciar o acesso da população às novas tecnologias de informação, principalmente aquela que reside isolada nos meios rurais mais longínquos”.
O acesso a essa informação, segundo a ministra, permite não só o desenvolvimento social e económico, como também serve de alerta em casos de calamidades ou outras emergências. Lembrou que o uso das novas tecnologias de informação tem permitido o aumento substancial da participação dos profissionais na vida pública nacional, enaltecendo o espírito patriótico e de nação.
A ministra garantiu que “o Executivo pretende valorizar cada vez mais a comunicação social, tanto na sua vertente pública como privada, consciente como um todo, do papel central da informação na construção de uma sociedade orientada para os valores da cidadania, respeito mútuo, estabilidade social e verdadeiramente livre e democrática”.
Carolina Cerqueira apelou aos jornalistas para o “reforço da consciencialização quanto ao seu desempenho, enquanto factor de união entre o Executivo e a sociedade, pautando pela isenção, pluralidade, informação factual e construtiva, que se distancie de práticas pouco dignas, como a calúnia e a difamação intencional dos indivíduos”.
Os órgãos de comunicação social de todo o mundo, segundo a ministra, têm jogado um “papel crucial no desenvolvimento socioeconómico e político das nações, bem como na consolidação da democracia, permitindo à sociedade civil, principalmente aos jovens, um desempenho mais inclusivo no desenvolvimento”.
A ministra referiu que a transformação económica da sociedade angolana tem beneficiado do impulso qualitativo proporcionado pelos meios de comunicação, através da divulgação das medidas económicas, incentivos, oportunidades de negócio e acesso da população ao crédito.

Contribuição dos jornalistas

Carolina Cerqueira sublinhou que Angola reergue-se dos escombros da guerra, pelo que a comunicação social não está alheia a todo esse desenvolvimento, quer do ponto de vista material como humano, tendo avançado que nos últimos dez anos se tem registado um crescimento exponencial do número de órgãos de comunicação social.
A ministra assinalou a extensão do sinal da rádio e da televisão em todas as capitais provinciais e nos principais centros populacionais e mesmo além fronteiras. Carolina Cerqueira aproveitou a ocasião para homenagear todos os profissionais, exortando-os a prosseguir e nunca desistir perante os obstáculos ou os riscos inerentes à profissão que dá voz, imagem, palavra e significado à nação.
“Recordamos com saudade os que perderam a vida em nome do jornalismo angolano, sendo o nome mais recente Feliciano Mágico e desejamos rápidas melhoras aos que ficaram acidentados, física e psicologicamente, no exercício desta profissão, particularmente os jornalistas da TPA Sérgio Bravo, Alexandre Cose e Samuel Lusati, que se encontram em fase de recuperação”, disse.

Várias perspectivas

O governador provincial do Kwanza-Norte advogou que os jornalistas angolanos pautem por um serviço de informação que garanta o acesso às várias perspectivas sobre a realidade nacional.
Henrique Júnior, que falava durante a abertura do acto central do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, realizado em Ndalatando, frisou que a data constitui um momento de reafirmação da importância da protecção de um direito fundamental de cidadania, que é o de informar e ser informado.

Palestra

O jornalista Amílcar Xavier disse que os jornalistas angolanos deram um “grande passo para a construir pilares muito sólidos” para sustentar a democracia no país.
Amílcar Xavier, que proferia uma palestrava sobre o tema “As Novas Vozes: a liberdade dos media ajuda a transformar as sociedades” em alusão ao Dia Mundial da Liberdade de Imprensa assinalado ontem, disse “se olharmos ao percurso que nós (jornalistas) fizemos, vamos chegar a conclusão de que demos um grande passo e estamos a construir pilares muito sólidos para a nossa identidade jornalística”.

FONTE: JA

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.