Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Obras da cidade universitária marcam festas da vila do Soyo

A antiga vila de Santo António do Zaire, assim baptizada pelo navegador português Diogo Cão, em 1482, hoje Soyo, comemorou no passado 5 de Abril, o 38º aniversário como cidade, categoria a que ascendeu em 1974, através da portaria administrativa nº320, do então Governo Geral de Angola.
Hoje os holofotes estão virados para a sua reconstrução urbanística. No centro da cidade, estão em fase de conclusão as instalações da Escola Superior Politécnica do Soyo e as casas para docentes universitários e internatos para os estudantes na região.
O município do Soyo é tido como um dos” motores” da economia do país, consubstanciado na exploração de petróleo.
A concretização do mega projecto de aproveitamento de gás natural dá ainda maior importância ao Soyo. A fábrica de processamento do gás natural liquefeito (LNG) está praticamente concluída e quando entrar em funcionamento vai ser um reforço importante para a economia angolana.
Os habitantes da cidade do Soyo festejaram os 38 anos de existência da cidade, de forma muito especial, uma vez que um dia antes se comemorou o Dia da Paz e Reconciliação Nacional e logo a seguir a Semana Santa. Os festejos incluíram actividades políticas, desportivas, recreativas e religiosas.
Após 38 anos de existência, na cidade do Soyo nem tudo é um mar de rosas. A região, tal como outras do país, enfrenta alguns problemas básicos. O administrador municipal do Soyo, Manuel António, disse à nossa reportagem que apesar de haver ganhos noutros sectores, ainda existem sérios problemas no fornecimento de luz e água potável às populações. Mas estão a ser feitos esforços por parte do Governo Provincial e do Executivo para solucionar essas dificuldades.
Manuel António disse que foram concluídos, em dez anos de paz, “inúmeros projectos de impacto social nas áreas de educação, saúde e vias rodoviárias”. Estão em execução obras que visam melhorar o fornecimento de água potável e energia eléctrica às populações do município.

Reconstrução da cidade

De 1974 a 2012, a cidade do Soyo conheceu muitos avanços em termos de crescimento urbano. A indústria petrolífera deu passos de gigante. A construção de novas infra-estruturas públicas e privadas, com destaque para construção em curso do novo edifício da Administração Municipal, reabilitação do actual aeródromo, as vias de circulação no casco urbano, surgimentos de novos hotéis e agências bancárias demonstram o quanto a região cresceu.
No sector de Educação, disse o administrador Manuel António, a região cresceu significativamente, com a construção de escolas em todo o município, para o ensino primário e superior. No centro da cidade, estão em fase de conclusão as instalações da Escola Superior Politécnica do Soyo e as casas para docentes universitários e internatos para os estudantes na região. É uma verdadeira cidade universitária.
Para o segundo ciclo e o ensino primário está em curso a construção de uma escola com oito salas, no bairro Bundila, e uma escola no Wolo com 17 salas. Também estão em curso obras de reabilitação da escola secundária.

O sector de saúde

O sector de Saúde é outra área em crescimento para proporcionar a assistência médica e medicamentosa aos habitantes da região. O governo está a construir e reabilitar diversos estabelecimentos hospitalares em todo o município. Na cidade do Soyo está a ser ampliado e reabilitado o Hospital Municipal, que vai passar a contar com 120 camas quando até agora tinha apenas 60.
A reabilitação compreende a ampliação da maternidade. O hospital vai contar igualmente com nova área de infecto-contagiosas, oftalmologia, urologia e um centro de engarrafamento de botijas de oxigénio hospitalar. Vai contar, igualmente, com uma central interna de tratamento de água potável e de resíduos sólidos.
A par de ampliação do Hospital Municipal, estão ainda em fase conclusiva a reabilitação dos postos de saúde de Quitona, Mongo Soyo, Pângala, Nona e o centro de saúde da comuna do Quelo.

Energia eléctrica

No tocante à produção e distribuição de energia eléctrica e água potável, a cidade do Soyo, regista graves problemas. O administrador Manuel António reconheceu as dificuldades por que passa a população da região.
Os três grupos geradores a gás instalados no bairro Pângala, a 12 quilómetros da cidade, já não produzem electricidade suficiente para satisfazer as necessidades
Os grupos geradores deviam fornecer seis mil KVA e só produzem 2.000, porque apenas dois estão em funcionamento, com falhas, o que torna difícil satisfazer a procura. O projecto da construção da central eléctrica do Pângala, que previa inicialmente a instalação de oito grupos geradores de dois mil KVA cada, para produzir 30 kilovolts de energia, não foi concluído.
Manuel António informou que está em fase de conclusão a construção de uma nova central de produção de energia eléctrica na zona industrial da Base do Kwanda, que compreende a instalação de duas turbinas que vão gerar 22 megawatts, o que considerou suficiente para abastecer a cidade e arredores.
A montagem das duas turbinas a gás está concluída, resta apenas a instalação da rede de média tensão que vai transportar a energia da fonte para o principal ponto de distribuição e deste passar para os postos de transformação, que vão ser construídos no interior dos bairros para facilitar o consumo.
A nova central vai produzir 22 megawatts e isso resolve o problema do fornecimento de energia aos bairros do Soyo.

Água potável

Na vertente de produção e distribuição de água potável, o administrador do Soyo reconheceu dificuldades na estação de captação e tratamento do Nvuembanga, localizada no bairro Mpinda, uma vez que há um défice na ordem de 50 por cento. A captação produzia 500 mil metros cúbicos de água, mas com as sucessivas avarias, a produção caiu para metade.
Manuel António informou que a actual central de captação e tratamento de água foi dimensionada para um número reduzido de habitantes. Mas a cidade cresceu vertiginosamente.
O administrador tranquiliza os habitantes do Soyo: “o governo da província está a trabalhar para aumentar a capacidade de produção e distribuição da actual captação, no sentido de satisfazer a procura.
Os trabalhos de aumento da capacidade da central de captação e tratamento de água potável estão em curso e já começou a ser colocada a nova tubagem de transporte”.

Novo aeroporto

O município do Soyo tem brevemente um novo aeroporto. O projecto, praticamente concluído, compreende uma nova aerogare com dois andares, uma torre de controlo e outros serviços afins.
O tapete de asfalto da pista está em fase avançada e em breve pode receber aviões de médio e pequeno porte.
Actualmente, a pista do aeródromo do Soyo tem 2000 metros de comprimento e está habilitada para receber apenas aviões de pequeno porte.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »