InicioDestaquesPrincipais partidos da oposição de Angola abandonam debate sobre leis eleitorais

Principais partidos da oposição de Angola abandonam debate sobre leis eleitorais

Os três maiores partidos da oposição angolana boicotaram hoje em Luanda a discussão e votação de legislação eleitoral, abandonando o parlamento no momento de abertura do debate. A saída dos deputados da UNITA, PRS e FNLA ocorreu imediatamente depois de o presidente da Assembleia Nacional, Paulo Kassoma, anunciar o início do debate para a votação de quatro diplomas do pacote eleitoral.

São eles a lei de revisão da lei do Financiamento dos Partidos Políticos, lei de Observação Eleitoral, lei resolução sobre o Código de Conduta Eleitoral e a resolução que aprova a eleição dos membros das comissões provinciais e municipais eleitorais.

Já fora da sala de sessões, em declarações à imprensa, a deputada Clarisse Caputo, em nome da direção da bancada da UNITA, sublinhou que a saída dos parlamentares dos três maiores partidos da oposição se deveu “à falta de condições” para prosseguir o debate.

Em causa está a contestação à manutenção de Suzana Inglês na presidência da CNE, que a UNITA, PRS e FNLA consideram uma “ilegalidade”, e que o Tribunal Supremo considerou legal, rejeitando o recurso interposto por aqueles partidos.

“Os três partidos vão fazer ainda hoje uma declaração conjunta”, sublinhou Clarisse Caputo.

Sapalo António, líder parlamentar do PRS, por seu lado, acusou o Presidente da República, e líder do MPLA, José Eduardo dos Santos, e o presidente do Tribunal Supremo de estarem a potenciar o conflito no país.

“Essas pessoas não merecem estar à frente do país. Nós, com os meios democráticos temos que dizer a essas pessoas que Angola não é uma propriedade para que cada um no exercício das funções crie conflitos que põem em causa a vida e a estabilidade do país”, frisou Sapalo António.

No final dos trabalhos, o líder parlamentar do MPLA, Virgílio Fontes Pereira, classificou a atitude da oposição como uma “birra”.

No passado dia 02, em conferência de imprensa os três maiores partidos da oposição em Angola, UNITA, PRS e FNLA ameaçaram boicotar as eleições gerais caso persistam as ilegalidades na preparação do escrutínio, ainda sem data marcada.

Entretanto, os quatro diplomas que motivaram o boicote da UNITA, PRS e FNLA, foram aprovados pelos deputados do MPLA, tendo os dois parlamentares da coligação Nova Democracia optado pela abstenção.

À mesma hora que decorria a sessão parlamentar, noutro ponto da capital angolana, o secretário-geral da UNITA, Vitorino Nhany, em conferência de imprensa garantiu que o seu partido vai protestar nas ruas contra a decisão do Tribunal Supremo, que considerou legal a designação de Suzana Inglês na presidência da CNE.

Fonte: RTP

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.