- Publicidade-
InicioAngolaMPLA quer vitória clara e inequívoca

MPLA quer vitória clara e inequívoca

O vice-presidente do MPLA, Roberto de Almeida, defendeu ontem, em Ndalatando, província do Kwanza-Norte, que a vitória do seu partido nas próximas eleições gerais vai ser na base do respeito pela lei, serenidade, transparência, empenho e dedicação total de todos os militantes, simpatizantes e amigos.
Roberto de Almeida falava durante o acto político que serviu para o lançamento da agenda política do MPLA para 2012, um mecanismo adoptado pelo partido em 2004.
No âmbito da agenda deste ano, que inclui a realização das eleições, o partido está a preparar-se no plano organizativo, funcional e de mobilização, com vista a assegurar “uma vitória inequívoca, clara e expressiva”.
O MPLA vai promover acções de selecção, formação e enquadramento de mais de 200 mil cabos eleitorais e mais de 36 mil delegados de lista, que vão assegurar uma vitória expressiva nas urnas.
No documento, o partido garante que está a criar condições para apoiar o Executivo, na sua acção de concretização dos programas e projectos ligados à sua agenda económica e social. Nesse sentido, propõe-se dar a conhecer à sociedade um conjunto de projectos específicos aprovados pelo Executivo e pelos governos provinciais e a evidenciar o esforço para a consolidação da estabilidade macroeconómica, no que diz respeito à inflação, reabilitação e modernização de infra-estruturas produtivas e sociais.A província do Kwanza-Norte foi escolhida para acolher a cerimónia de lançamento da agenda política do partido por ter garantido, nas eleições anteriores (2008), mais de 90 por cento dos votos ao MPLA.

Programa de Governo

O MPLA aprovou igualmente, este ano, o plano geral de actividade do partido, o programa de      Governo para o período 2012 a 2017 e os princípios e critérios para a selecção de deputados à Assembleia Nacional.
Além de fazer uma avaliação do processo de actualização e registo eleitoral, aprovou as estruturas internas de coordenação das acções eleitorais, os planos de acção, orçamentos e os métodos de trabalho a adoptar para o êxito das eleições.O partido defende o relançamento da produção nacional e a diversificação da estrutura económica e o crescimento económico.
Pretende ainda assegurar o envolvimento da sociedade civil em tarefas comunitárias, que contribuam para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos, nos domínios da habitação social, saúde, acesso à energia e água potável, educação, comércio rural e do saneamento básico.
No lançamento da agenda política do MPLA para 2012, Roberto de Almeida fez ainda referência à intenção do seu partido em concretizar intensamente as acções práticas de apoio e dignificação dos antigos combatentes e veteranos da pátria.
O documento sublinha, por outro lado, a preocupação do seu líder em relação ao apoio às pessoas            empreendedoras.
Para tal, o partido está a promover acções no plano legislativo e a consolidação de uma classe empresarial de angolanos capazes de complementar a acção do Estado, no domínio do desenvolvimento económico e social.
Segundo Roberto de Almeida, o partido observa um conjunto de tarefas para aumentar os níveis de estabilidade e segurança no país e de todos os cidadãos.
Durante as segundas eleições legislativas, em 2008, o MPLA obteve 81, 64 por cento dos votos. O acto político, que culminou com a inauguração do Comité Municipal de Cazengo e a visita às obras do hospital, contou com a presença do secretário-geral, Julião Mateus “Dino Matrosse”, do primeiro secretário provincial, Henrique Júnior, e de membros do comité central.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.