InicioAngolaRegiõesImigração ilegal e tráfico de drogas inquieta segundo comandante da PN

Imigração ilegal e tráfico de drogas inquieta segundo comandante da PN

O segundo comandante-geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida, manifestou hoje, em Ambriz, província do Bengo, a sua inquietação quanto ao crescente fenómeno da imigração ilegal, tráfico de drogas, diamantes e de seres humanos.

Segundo o oficial da corporação, falava na cerimónia encerramento de juramento de bandeira de 995 novos efectivos da Polícia de Guarda Fronteira de Angola (PGF), decorrida na Escola de Instrução “Mártires da Môngua”, tais situações podem criar instabilidade no país se não se agir rapidamente para se alterar o quadro.

“Continuamos a detectar, com muita preocupação, aos casos de imigração ilegal, tráfico de drogas, diamantes e de seres humanos, sendo que tais situações podem criar instabilidade no país, por isso temos que agir rápido para que o quadro não se deteriore”, notou.

Paulo de Almeida, que falava perante uma plateia composta por altas patentes da corporação e FAA, entre outros convidados, citou ainda como preocupação o roubo de viaturas e de gado.

De acordo com a alta patente policial, todas essas situações criam instabilidade, “facto que pode prejudicar o desenvolvimento harmonioso de Angola”.

Notou que as fronteiras de Angola são de paz e tranquilas, “facto que faz com que algumas pessoas, premeditadamente, têm abusado da nossa generosidade como Estado democrático e de direito”.

Noutra parte da sua intervenção, referiu que a Polícia Nacional vai, nos próximos tempos, melhorar a sua capacidade operacional para garantir cada vez mais a segurança às populações.

Aliado a isto, a corporação se propõe igualmente a elevar a organização e a disciplina no seio dos seus efectivos.

Fonte: Angop

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.