- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Regiões Cabinda: " Autonomia legitimaria colonização angolana", diz separatista Afonso Massanga

Cabinda: ” Autonomia legitimaria colonização angolana”, diz separatista Afonso Massanga

Os separatistas de Cabinda reagiram negativamente à proposta de realização de uma conferência sobre a autonomia do território afirmando que a mesma “legitimaria a colonização angolana de Cabinda”.

O Bloco Democrático anunciou recentemente que pretendia realizar uma conferência sobre o estatuto político e administrativo da província de Cabinda antes das eleições gerais em Angola.

A conferência levaria a cabo um amplo debate sobre a autonomia para o enclave como forma de se pôr termo às reivindicações separatistas da região.

Esta iniciativa, de acordo com o dirigente daquela organização, Luís do Nascimento, encontra-se no manifesto político do Bloco Democrático que diz ser oportuno o estabelecimento de um estatuto político e jurídico para que se atribua aos cabindas a livre administração dos seus recursos para o crescimento económico da região.

A ideia da organização de uma conferência sobre a autonomia não está contudo a ser bem recebida entre as facções separatistas cabindenses. De facto, a facção da FLEC liderada por Afonso Massanga reiterou o seu objectivo de uma independência total do território.

Massanga afirmou à “Voz da América”, que a sua organização não pode aceitar um estatuto de autonomia porque Angola não dispõe de documentos históricos que lhe dêem jurisdição sobre Cabinda.

Massanga acrescentou que o território depende apenas de Portugal  nos termos do Tratado de Simulambuco.

“ Não vamos admitir que Angola fale de uma autonomia para Cabinda porque isso seria legitimar a colonização angolana em Cabinda”, disse ainda Afonso Massanga.

O Bloco Democrático levantou entretanto a possibilidade de realizar protestos se o governo voltar a inviabilizar a realização da conferência a exemplo do que aconteceu há 4 anos quando a frente para a democracia foi impedida de realizar uma conferência sobre o estatuto de autonomia para aquele enclave angolano rico em petróleo.

Fonte: VOA

- Publicidade -
- Publicidade -

Angola: Onde estão os sindicatos no novo conselho de João Lourenço?

Convidado a integrar o novo Conselho Económico e Social de João Lourenço, o economista Carlos Rosado de Carvalho diz-se "surpreendido" com o número de...
- Publicidade -

Bancos africanos são vítimas do ‘rating’ dos países em que operam, diz Moddy’s

Em causa os efeitos e dificuldades resultantes da pandemia de covid-19. A agência de notação financeira Moody's alertou que a análise sobre a qualidade de...

Angola: “Liberdade, Justiça, Emprego, Educação”, pedem manifestantes

Centenas de angolanos saíram à rua para mostrar a sua insatisfação com o Governo e exigir mais empregos. Foi a segunda manifestação em Luanda...

Cardeal italiano demitido de Vaticano por suspeitas de desvio de fundos

O italiano Angelo Becciu, tido a data como um dos cardeais mais influentes do Vaticno, foi obrigado a renunciar ao seu cargo, devido à...

Notícias relacionadas

Angola: Onde estão os sindicatos no novo conselho de João Lourenço?

Convidado a integrar o novo Conselho Económico e Social de João Lourenço, o economista Carlos Rosado de Carvalho diz-se "surpreendido" com o número de...

Bancos africanos são vítimas do ‘rating’ dos países em que operam, diz Moddy’s

Em causa os efeitos e dificuldades resultantes da pandemia de covid-19. A agência de notação financeira Moody's alertou que a análise sobre a qualidade de...

Angola: “Liberdade, Justiça, Emprego, Educação”, pedem manifestantes

Centenas de angolanos saíram à rua para mostrar a sua insatisfação com o Governo e exigir mais empregos. Foi a segunda manifestação em Luanda...

Cardeal italiano demitido de Vaticano por suspeitas de desvio de fundos

O italiano Angelo Becciu, tido a data como um dos cardeais mais influentes do Vaticno, foi obrigado a renunciar ao seu cargo, devido à...

Mali: Presidente e vice-presidente de transição já tomaram posse

Esta sexta-feira, no Mali, vão tomar posse o novo presidente de transição, o general na reserva Bah N’Daw, e o novo-vice-presidente, o coronel Assimi...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.