InicioAngolaComunidade Económica controla mercado comum

Comunidade Económica controla mercado comum

Os Estados da Comunidade Económica da África Oriental (EAC) vão instalar comités para controlar a progressão do Protocolo Regional sobre o Mercado Comum, com vista a reforçar a mobilidade dos serviços e da mão-de-obra na organização, anunciou o secretário-geral daquela integração regional, Richard Sezibera, em Arusha.
Reafirmando o seu desejo de garantir uma aplicação total e rápida do Protocolo sobre o Mercado Comum, Richard Sezibera pediu aos parlamentares do bloco de cinco nações para levantarem as questões ligadas à Comunidade nos seus respectivos Estados, sublinhando ser importante que todos ajam colectivamente e ao mesmo ritmo. “Encorajo-os a reflectir, debater e discutir sobre questões relativas à Comunidade nos vossos respectivos Parlamentos”, declarou o secretário-geral da EAC na sede desta organização em Arusha, na Tanzânia, onde recebia uma delegação de deputados ugandeses.
Os deputados, que são membros da Comissão dos Serviços Sociais do Parlamento, estiveram em Arusha para se inteirar do processo de integração da EAC. Segundo Richard Sezibera, a harmonização em curso dos serviços sociais nos Estados da EAC é essencial para reforçar o processo de integração.
O secretário-geral congratulou-se com as diferentes iniciativas tomadas actualmente, relativas à harmonização dos serviços nos sectores da educação e da saúde, garantindo que a Comunidade está determinada a progredir a “todos os níveis”. Sobre a saúde, sublinhou ser necessário reforçar os sistemas de controlo para permitir uma troca de informações, já que as doenças não têm fronteiras.
Por sua vez, os membros da delegação ugandesa constataram os progressos realizados pela integração regional e felicitaram o Secretariado e os seus órgãos pelo trabalho que cumpriram a favor da promoção da organização.
“Estamos satisfeitos que a EAC continue concentrada nos seus desafios. Um intercâmbio constante entre o Secretariado, os órgãos e as Assembleias Nacionais é absolutamente importante”, sublinhou na ocasião Jacob Opolot, chefe da delegação ugandesa.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.