- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Destaques «Portugueses devem acautelar repatriamento de lucros», aconselha Mira Amaral

«Portugueses devem acautelar repatriamento de lucros», aconselha Mira Amaral

O presidente do Banco BIC Português, Mira Amaral, aconselhou esta quinta-feira os investidores portugueses em Angola a acautelarem previamente com os seus bancos o repatriamento do lucro obtido, alertando que essa questão não está «suficientemente regulamentada».

«Há que ter cuidado com a repatriação dos lucros, porque se o investimento não estiver legalizado pode acontecer – e já tenho sido confrontado por muitos clientes com esta situação – que ganham dinheiro em Angola, têm lá os cuanzas, mas depois não podem transferir para Portugal o lucro que legitimamente ganharam», afirmou Mira Amaral.

Falando no Porto durante um encontro sobre a nova lei do investimento privado em Angola, organizado pela F. Castelo Branco & Associados (FCB&A), no âmbito da iniciativa «Angola: exportar e investir», Mira Amaral considerou que, a esse nível, «a lei não está suficientemente regulamentada para se saber como é que se faz».

«O conselho prático que dou é que, como no último minuto isto depende do BNA [Banco Nacional de Angola], se aconselhem com os bancos comerciais com quem trabalhem em Angola para que estes vejam junto do BNA como têm que fazer para depois garantir as transferências para Portugal».

Segundo explicou, a nova lei do investimento privado em Angola prevê isenções fiscais e aduaneiras a investimentos superiores a um milhão de dólares, a atribuir pelo Ministério das Finanças angolano.

O investimento abaixo deste valor é considerado no âmbito do quadro geral do investimento em Angola, que obedece a legislação específica, como a lei de apoio às micro, pequenas e médias empresas angolanas.

Embora ressaltando a necessidade de salvaguardar a repatriação dos lucros, Mira Amaral apontou Angola como um país de oportunidades que «está a evoluir» e cujos «tribunais e sistema de justiça estão a funcionar melhor de dia para dia».

Fonte: Agência Financeira

- Publicidade -
- Publicidade -

Bonga: “Os prémios todos que tenho no estrangeiro, não os tenho em Portugal”

Bonga Kuenda é o semba e a vivência clandestina. Foi nos 'musseques', bairros típicos de Angola que José Adelino Barceló de Carvalho viveu e cresceu,...
- Publicidade -

Governo aceita criar um apoio para que ninguém fique com rendimentos abaixo do limiar da pobreza

Seguem as negociações do Orçamento do Estado para 2021, com várias reuniões marcadas para esta semana com os partidos de esquerda. Esta semana deverão...

Deputado denuncia inércia da Procuradoria do Namibe frente a casos de peculato

O deputado independente Sampaio Mucanda denunciou que vários gestores públicos na província angolana do Namibe envolvidos em casos de peculato não são investigados e...

Banca portuguesa ensombrada com novos despedimentos

A Agência de 'rating' Fitch, no final de Julho, considerava que, face à nova ameaça para o sector bancário português que representa a crise...

Notícias relacionadas

Bonga: “Os prémios todos que tenho no estrangeiro, não os tenho em Portugal”

Bonga Kuenda é o semba e a vivência clandestina. Foi nos 'musseques', bairros típicos de Angola que José Adelino Barceló de Carvalho viveu e cresceu,...

Governo aceita criar um apoio para que ninguém fique com rendimentos abaixo do limiar da pobreza

Seguem as negociações do Orçamento do Estado para 2021, com várias reuniões marcadas para esta semana com os partidos de esquerda. Esta semana deverão...

Deputado denuncia inércia da Procuradoria do Namibe frente a casos de peculato

O deputado independente Sampaio Mucanda denunciou que vários gestores públicos na província angolana do Namibe envolvidos em casos de peculato não são investigados e...

Banca portuguesa ensombrada com novos despedimentos

A Agência de 'rating' Fitch, no final de Julho, considerava que, face à nova ameaça para o sector bancário português que representa a crise...

Mãe é acusada de matar filha ao desligar dispositivo de oxigénio

Elise C. Nelson, de Paynesville, nos EUA, foi acusada de homicídio depois de, supostamente, ter desligado o alarme do dispositivo de monitoramento de oxigénio...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.