InicioOutrasInvestigadores alemães descobrem quatro espécies de camaleões anões em Madagáscar

Investigadores alemães descobrem quatro espécies de camaleões anões em Madagáscar

Quatro espécies de camaleões anões foram descobertas nas florestas de Madagáscar por uma equipa de investigadores alemães, revela nesta quarta-feira a revista PLoS ONE.

Os investigadores – liderados por Frank Glaw, da Colecção Estatal Zoológica de Munique, Alemanha – acreditam que estas espécies estão entre os répteis mais pequenos do mundo.

Durante épocas de intenso trabalho de campo no Norte de Madagáscar, durante a estação húmida, a equipa descobriu várias novas populações de camaleões do género Brookesia. O camaleão Brookesia micra, encontrado apenas na pequena ilha de Nosy Hara, a Norte de Madagáscar, tem um comprimento máximo de 29 milímetros.

“Eles vivem no solo, entre as folhas no chão, durante o dia. Mas à noite sobem para dormir nos ramos das árvores. É aí que os conseguimos detectar”, explicou Glaw, citado pela BBC Nature.

Além da Brookesia micra, as outras espécies agora descobertas para a Ciência são a Brookesia tristis – cujo habitat está ameaçado de “desflorestação severa”, apesar de recentemente ter sido declarado reserva natural –, Brookesia confidens e a Brookesia desperata.

As espécies são todas muito semelhantes e por isso os investigadores realizaram análises genéticas para confirmar que são mesmo de espécies diferentes. Miguel Vences, da Universidade Técnica de Braunschweig, na Alemanha, acredita que estas espécies se “separaram umas das outras há milhões de anos”, citou a BBC Nature.

Todas as espécies, limitadas a territórios de pequena dimensão – num dos casos apenas um quilómetro quadrado –, estão ameaçadas pela desflorestação. “Em Madagáscar, muitas estão restritas a pequenos habitats, o que torna tão importante conservá-los”, comentou Glaw.

“Agora o mais urgente é concentrar os esforços de conservação nestas e em outras espécies endémicas de Madagáscar, que estão extremamente ameaçadas pela desflorestação”, disse o investigador, em comunicado.

Fonte: Publico

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.