- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Cultura Acordo ortográfico: Faculdade de Letras de Lisboa sem posição sobre acordo

Acordo ortográfico: Faculdade de Letras de Lisboa sem posição sobre acordo

A Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL) não tem uma política de ortografia e, por enquanto, não assumirá uma posição em relação ao Acordo Ortográfico. Há quem seja a favor e quem seja contra, mas a reitoria diz que o assunto ainda não foi discutido.

“A Faculdade de Letras de Lisboa não tem uma política de ortografia, não tomou posição política sobre a questão do acordo. Neste momento nem impede, nem se opõe a que qualquer pessoa na faculdade, seja docente, não docente ou aluno escreva com a grafia que entender”, disse ao PÚBLICO o director da Faculdade de Letras, António Feijó.

A afirmação é feita depois de as rádios Media Capital terem noticiado que esta faculdade estaria a admitir não implementar o acordo, no seguimento da decisão de Vasco Graça Moura de ordenar no Centro Cultural de Belém que fossem desinstalados de todos os computadores os conversores ortográficos que adaptam os textos escritos na ortografia anterior às normas do acordo.

O site da Faculdade de Letras de Lisboa está com a grafia antiga, como sempre esteve e não será alterado. “Se alterássemos estaríamos a ter uma posição política de ortografia e por isso vamos mantê-lo”, diz Feijó, alertando que, em termos de imperativos legais, o acordo não está completamente em vigor. “Eventualmente, a faculdade poderá vir a ter que tomar uma decisão, mas eu não antecipo quando será”.

Embora, pessoalmente, o académico António Feijó pense que a decisão da sua faculdade “está certa” ao não ter uma política de ortografia, não deixa de ter “toda a simpatia por aquilo que fez Vasco Graça Moura”.

Mesmo que a FLUL tivesse tomado uma posição, a instituição não é independente da Universidade de Lisboa (UL), e por isso precisaria sempre da autorização superior da reitoria.

O vice-reitor da Universidade de Lisboa, Vasconcelos Tavares, explicou que a aplicação ou não do acordo ortográfico ainda não foi discutida. “A UL está a cumprir o que foi determinado. Estamos a seguir o acordo nos documentos oficiais, tal como disseram que teria de ser feito a partir de Janeiro”, afirmou Vasconcelos Tavares, lembrando que a data prevista da aplicação generalizada do acordo é 2014 e por isso “falta ainda bastante tempo”. “É evidente que a Universidade de Lisboa tem um papel primordial, mas neste momento não temos uma posição. É um problema que terá de ser debatido, mas também não há pressão nenhuma”.

Na Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP) o acordo ortográfico está a ser aplicado desde o início deste ano lectivo, por decisão da reitoria, que solicitou a todas as faculdades dependentes de si que o adoptassem. No entanto, para Rosa Maria Martelo, professora associada da FLUP, a aplicação desta medida levanta alguns problemas, uma vez que, na sua opinião, o acordo “não é bem realizado”.

“É razoável que se faça uma reflexão. Quer as pessoas que são contra ou a favor têm consciência de que o acordo tem problemas e houve uma precipitação na homologação da lei”, disse a doutorada em Literatura Portuguesa, explicando que “o acordo é extremamente problemático para Portugal e para a ortografia portuguesa, sobretudo tendo em conta as características da língua como falamos na Europa”.

Por seu lado, José Esteves Rei, professor do Departamento de Letras da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e que esteve envolvido na primeira versão da Terminologia Linguística para os Ensinos Básico e Secundário (TLEB), apela ao bom senso, defendendo que a aplicação do acordo visa a padronização da língua e a aproximação das comunidades de língua portuguesa.

“A língua portuguesa não é uma língua morta, pelo contrário, está sempre em evolução. Tem de se adaptar e procurar novas linhas”, disse o professor, explicando que na UTAD o acordo já foi adoptado em 2011 e não gerou qualquer problema. “É um esforço que se pede a todos. Quando há muito tempo, por exemplo, a palavra ‘pharmacia’ evoluiu para farmácia, foi exigido um esforço de compreensão que não imaginamos. Se calhar daqui a 20 anos já estamos a rever novamente o acordo”, considera.

Fonte: Publico

- Publicidade -
- Publicidade -

Novo director do BM para Angola apresenta-se às autoridades

O novo director do Banco Mundial para Angola, Jean-Chistophe Carret, chega ao país segunda-feira, para uma visita de quatro dias. Segundo a instituição, Jean-Chistophe Carret...
- Publicidade -

Ricardo Lemvo lança no mercado mundial novo álbum Ndona Ponte

O cidadão do mundo e artista Ricardo Lemvo tem novo álbum que está neste momento em regime de promoção nos canais áudiovisuais. Depois de uma...

Angolano participa em curso de operacionalização de drones

O especialista do Gabinete de Gestão do Programa Espacial Angolano (GGPEN), Atanilson Cachinjumba, foi seleccionado para frequentar o curso de Montagem, Operacionalização e Processamento...

Quinze empresas na Lunda Sul aguardam financiamento do BDA

Quinze empresas cadastradas no Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI), na província da Lunda Sul, aguardam o...

Notícias relacionadas

Novo director do BM para Angola apresenta-se às autoridades

O novo director do Banco Mundial para Angola, Jean-Chistophe Carret, chega ao país segunda-feira, para uma visita de quatro dias. Segundo a instituição, Jean-Chistophe Carret...

Ricardo Lemvo lança no mercado mundial novo álbum Ndona Ponte

O cidadão do mundo e artista Ricardo Lemvo tem novo álbum que está neste momento em regime de promoção nos canais áudiovisuais. Depois de uma...

Angolano participa em curso de operacionalização de drones

O especialista do Gabinete de Gestão do Programa Espacial Angolano (GGPEN), Atanilson Cachinjumba, foi seleccionado para frequentar o curso de Montagem, Operacionalização e Processamento...

Quinze empresas na Lunda Sul aguardam financiamento do BDA

Quinze empresas cadastradas no Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI), na província da Lunda Sul, aguardam o...

1º de Agosto extingue voleibol

O 1º de Agosto anunciou nesta sexta-feira, em Luanda, a extinção do voleibol, uma das modalidades mais tituladas do clube com 25 troféus nacionais...
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. Na minha idade ja nao e possivel escrever facto(enquanto acontecimento) fato(segundo o acordo).Que esta grafia fique so para os Brasileiros. O portugues e de Potugal assim como o ingles esta para Inglaterra.Nada de acordos. Temos coisas muito mais importantes para nos preocuparmos

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.