- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Regiões Governo de Cabinda mobiliza polícia contra greve na saúde

Governo de Cabinda mobiliza polícia contra greve na saúde

O enclave viveu um fim-de-semana de tensão entre a polícia nacional e o sindicato dos trabalhadores da saúde.

Cabinda parecia estar em estado de sítio. Pela manhã de sábado, o governo da província mobilizou para o centro da cidade um enorme dispositivo policial para impedir os trabalhadores da saúde de acederem o hospital central de Cabinda, local de concentração dos grevistas.

Os sindicatos sediados em Cabinda condenaram segunda-feira, o governo da província e a polícia nacional pelo uso desproporcional de força, para reprimir os trabalhadores da saúde que se mobilizavam para se concentrarem no hospital central de Cabinda.

Em comunicado, “deploram a detenção de sindicalistas e as intimidações a que os trabalhadores estão a ser vítimas”.

“Os sindicatos solidarizam-se com a greve dos trabalhadores da saúde e pedem ao executivo local a encontrar vias de diálogo para a reabertura ao público de todos os hospitais da província”, adianta-se

“Face ao triste quadro registado pela atitude menos digna, os sindicatos, movidos pelo elevado espírito de sentimento de solidariedade, manifestam a sua total insatisfação sobre os espancamentos de trabalhadores da saúde e condenam o comportamento do governo provincial, tais como a ausência de dialogo, detenção de dirigentes sindicais, espancamentos de trabalhadores grevistas pela policia nacional e o uso de elevado dispositivo militar para a intimidação dos trabalhadores indefesos”, diz-se no documento.

Perante este quadro e no intuito de salvaguardar o interesse dos trabalhadores, disse Ambrósio de Almeida do Sindicato Independente dos Trabalhadores da Indústria Petrolífera e Empresas de Prestação de Serviços, “os sindicatos solicitam ao executivo da província a buscar consensos que permitam o levantamento da greve e a retomada urgente das negociações”.

No mesmo sentido, a UNITA em Cabinda “condena os acontecimentos do passado dia 4 de Fevereiro em que trabalhadores da saúde foram espancados por forças policiais e acusa o governo de violar a constituição  e os direitos humanos.”

Falando em conferência de imprensa aos órgãos locais o secretário Provincial da UNITA José De Gringo Júnior censurou as autoridades locais pelo uso de aparato desde o hospital central de Cabinda e as principais ruas a polícia de intervenção rápida e as forças de segurança de estado para reprimir os grevistas indefesos.

No dia 4 de Fevereiro de 2012, ” UNITA ficou surpreendida pela manhã, quando o centro da cidade de Cabinda, estava mergulhado com um aparato policial constituído pela polícia antimotim, polícia canina, policia motorizada, de trânsito, operativa e pelas forças de segurança do estado (Sinse), cercando e, pensávamos”, refere o movimento de Galo Negro, “que o aparato era destinado para os pacatos trabalhadores que discutem os seus direitos consagrados na constituição e nas demais leis vigentes em Angola”.

A UNITA diz na sua nota de imprensa que os “bárbaros actos do passado fim-de-semana, demonstram mais uma vez que o governo não tem sentido de estado e de governação para o povo de cabinda e não pensa melhorar as condições dos cidadãos.”

O sindicato da saúde refere ainda a UNITA, “respeitou a lei da greve e apela ao governo local, na pessoa do seu governador a respeitar a constituição e a lei da greve e permitir o diálogo, evitar o uso da força policial e a segurança do estado para oprimirem os trabalhadores.”

Fonte: VOA

- Publicidade -
- Publicidade -

“O Mali está sob o controlo profundamente cerrado das Forças Armadas”

O Presidente de transição do Mali, nos próximos 18 meses, vai ser o coronel na reserva, Bah N’Daw, auxiliado pelo vice-presidente que é o...
- Publicidade -

Dois policiais são baleados durante protestos em Louisville, nos EUA

Nesta quarta-feira (23), dois policiais foram baleados durante protestos em andamento em Louisville, nos Estados Unidos. As manifestações ocorrem após condenação de apenas um...

Justiça alemã abre novo inquérito contra suspeito do desaparecimento de Maddie McCann

O caso Maddie conheceu novos desenvolvimentos no início de Junho, com a identificação de Christian B., 43 anos, um pedófilo reincidente já condenado por...

Chuva deixa destruição na Guiné-Bissau

As chuvas torrenciais que se registaram, nos últimos tempos, na Guiné-Bissau, deixaram marcas de destruição. Da capital, Bissau, ao interior do país, cerca de mil...

Notícias relacionadas

“O Mali está sob o controlo profundamente cerrado das Forças Armadas”

O Presidente de transição do Mali, nos próximos 18 meses, vai ser o coronel na reserva, Bah N’Daw, auxiliado pelo vice-presidente que é o...

Dois policiais são baleados durante protestos em Louisville, nos EUA

Nesta quarta-feira (23), dois policiais foram baleados durante protestos em andamento em Louisville, nos Estados Unidos. As manifestações ocorrem após condenação de apenas um...

Justiça alemã abre novo inquérito contra suspeito do desaparecimento de Maddie McCann

O caso Maddie conheceu novos desenvolvimentos no início de Junho, com a identificação de Christian B., 43 anos, um pedófilo reincidente já condenado por...

Chuva deixa destruição na Guiné-Bissau

As chuvas torrenciais que se registaram, nos últimos tempos, na Guiné-Bissau, deixaram marcas de destruição. Da capital, Bissau, ao interior do país, cerca de mil...

Portugal, país euroafricano

Portugal é há muito um país euroafricano não assumido. Vozes como a da historiadora e professora Isabel de Castro Henriques, que estudam as marcas...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.