InicioMundoConselho de Segurança da ONU vota projeto de resolução contra a Síria

Conselho de Segurança da ONU vota projeto de resolução contra a Síria

Os 15 países do Conselho de Segurança da ONU devem votar neste sábado um projeto de resolução que condena a repressão na Síria. O texto traz concessões a pedido da Rússia, aliada do regime de Bachar al-Assad. Mais de 200 civis morreram em Homs neste sábado, vítimas de bombardeios do regime, de acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

A resolução, que condena a violência no país, será votada neste sábado no Conselho de Segurança da ONU, em Nova York. O texto foi discutido nesta quinta-feira e apoia parcialmente as decisões da Liga Árabe, que prevê uma transição democrática na Síria. Mas as modalidades dessa mediação, segundo diplomatas que consultaram o texto, não foram detalhadas para evitar um novo veto dos russos. O chanceler do país, Serguei Lavrov, declarou que enviou o documento para a secretária de estado americana, Hillary Clinton, com os pontos que deveriam ser revisados. Em outubro, a Rússia e a China, membros permanentes do Conselho, utilizaram seu poder de veto para bloquear um outro projeto de resolução. Nesta terça-feira, o chanceler russo deve se reunir com o presidente sírio Bachar al-Assad.

Na noite desta sexta-feira, mais de 200 civis morreram em Homs durante bombardeios das forças armadas. Segundo integrantes do Conselho Nacional Sírio, este foi um dos piores massacres desde o início da revolta na Síria, que teve início em 15 de março do ano passado. O regime desmente que seja o responsável pelo ataque, e o atribui a gangues de mercenários infiltrados entre os opositores. Neste sábado, outras 12 pessoas morreram.

Em um comunicado divulgado neste sábado, o ministro das relações exteriores francês, Alain Juppé, disse que as “autoridades sírias tinham feito um novo passo no nível de selvageria”. De acordo com ele, o massacre de Homs é um “crime contra a humanidade e seus autores deverão responder por ele.” O ministro francês fez um apelo para que o Conselho de Segurança, “saia de seu silêncio para denunciar os autores deste crime”, pedindo que a comunidade internacional “apoie e reconheça o direito do povo sírio à liberdade, à segurança, e à escolha de seu futuro político.” Para ele, “aqueles que bloquearem a resolução serão responsáveis perante a História”, em alusão à Rússia.

O Brasil, cujo mandato no Conselho de Segurança terminou em dezembro, não participará da votação. O país se absteve durante no texto analisado em outubro, mas votou a favor da resolução condenando a violência, apresentado na Assembleia Geral, em novembro.Neste sábado, o chanceler turco, Ahmet Davutoglu, disse que, caso o texto não seja aprovado, a Síria “pode entender que a violência no país ainda pode continuar.” De acordo o ministro, o Conselho de Segurança da ONU deve adotar uma posição clara a respeito do massacre de civis.

Fonte: RFI

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.