- Publicidade-
InicioMundoPortugal vai enfrentar frio glacial e a culpa é do anticiclone

Portugal vai enfrentar frio glacial e a culpa é do anticiclone

A culpa é do anticiclone, mas desta vez não é o dos Açores. Uma onda de frio polar está a chegar a Portugal, depois de ter feito mais de uma centena de mortos no Norte da Europa.

As temperaturas vão continuar a cair em todo o país nesta sexta-feira. A madrugada de sábado será gelada, com muitos pontos do território continental com os termómetros abaixo de zero. Para o distrito de Bragança, prevêem-se oito graus Celsius negativos (-8ºC). São esperados ainda -6ºC em Vila Real, -4ºC na Guarda, em Braga e em Viseu, -3ºC em Évora e Portalegre, e -2ºC até em Porto e Leiria. No litoral Sul, o frio não chegará para congelar. Em Lisboa a mínima prevista é de 2ºC.

Oito distritos – Bragança, Braga, Vila Real, Beja, Portalegre, Castelo Branco, Évora e Aveiro – estão sob alerta “laranja” o segundo mais grave do Instituto de Meteorologia, e que representa uma situação de “risco moderado a elevado”. Os demais distritos estão sob alerta “amarelo”.

O Instituto Nacional de Emergência Médica chama a atenção para risco de hipotermia, de queimaduras por frio e de intoxicações, devido a lareiras, salamandras e braseiros. Num folheto informativo, a Autoridade Nacional para a Protecção Civil (www.prociv.pt) relembra ainda o risco de incêndio, também devido a aparelhos de aquecimento.

Em vários pontos do país, as autoridades estão a alertar também para o perigo de gelo nas estradas.

Autarquias e organizações humanitárias reforçaram a sua actividade de prevenção ou de auxílio. Em Lisboa, a Câmara Municipal tem o seu plano de contingência para o frio “pronto a avançar”, segundo disse à agência Lusa o vereador Manuel Brito. A autarquia aguardava, ontem à tarde, a confirmação das previsões meteorológicas.

O frio que está a chegar a Portugal é causado por uma massa de ar polar que está a atravessar quase toda a Europa, deixando gelados vários países. Normalmente, as massas frias seguem outro trajecto, para o quadrante de Leste. Mas um anticiclone – uma zona de alta pressão e bom tempo – estacionado sobre a Europa do Norte e central está a alterar o padrão mais frequente de circulação da atmosfera.

O ar frio está a ser desviado para Sul e para Oeste, apanhando boa parte do continente europeu. Há alguns dias já que o tempo gelado está afectar uma série de países.

Na última semana, os termómetros têm chegado a marcar 30 graus Celsius negativos em várias regiões da Europa de Leste, numa vaga de frio que já causou mais de uma centena de mortos, grande parte na Ucrânia, Polónia e Roménia. Há estimativas diferentes para o número de mortos – 110 segundo a BBC, 160 segundo a agência AFP. As baixas temperaturas estão também a afectar alguns países do Sul da Europa, como a Itália, que está a viver a semana mais fria dos últimos 27 anos.

O facto de o frio estar a pairar já há alguns dias sobre a Europa é determinante para as temperaturas que se vão sentir agora em Portugal. “Como atravessa uma superfície já muito fria, o ar quando chega a Portugal não tem possibilidade de aquecer”, afirma o climatologista Ricardo Trigo, do Centro de Geofísica da Universidade de Lisboa.

Segundo Ricardo Trigo, numa situação como esta – de bloqueio da circulação atmosférica causada por um anticiclone estável, que pouco se move – a previsão pode ser feita com vários dias de antecedência. Desde segunda-feira que o Instituto de Meteorologia alerta para a chegada do frio neste fim-de-semana.

Nas previsões do Instituto de Meteorologia, não deverão ser batidos recordes de temperatura mínima no país. No domingo, os termómetros voltam subir, mas apenas ligeiramente. Apesar do frio, o tempo será de sol.

Fonte: Publico

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.