- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Portugal: Direcção de informação da RDP demite-se

Portugal: Direcção de informação da RDP demite-se

A direcção de informação da RDP (que integra a Antena 1, Antena 2, Antena 3 e RDP Internacional) demitiu-se nesta quinta-feira, na sequência do caso da crónica do jornalista Pedro Rosa Mendes.

A demissão foi apresentada ao final da manhã, mas só foi comunicada à redacção ao início da noite, já após um plenário de redacção, que decorreu durante a tarde e do qual saiu um documento em que os jornalistas teciam críticas duras à direcção.

“Tendo em conta os últimos acontecimentos relativos ao programa Este Tempo e todos os episódios que se seguiram à sua anulação, a direcção de informação da rádio pediu ao final da manhã a sua demissão, que foi aceite pelo conselho de administração”, lê-se num comunicado enviado aos jornalistas da RDP.

O texto, assinado pela direcção, não especifica os episódios referidos e que levaram à demissão.

O plenário de redacção emitiu nesta tarde um comunicado em que criticou a direcção de informação pela forma como conduziu o caso do fim do programa Este Tempo, um espaço de crónicas que foi encerrado pouco depois da emissão de uma crónica do jornalista Pedro Rosa Mendes, na qual este criticava o programa Reencontro, realizado pela RTP em Luanda.

No comunicado dos jornalistas, aprovado por unanimidade, foi condenada a forma “desastrosa e lamentável como foi conduzido o caso Rosa Mendes que permitiu criar e arrastar no tempo suspeitas sobre a ética, honorabilidade, rigor e isenção de todos os profissionais da redacção da RDP”.

Os jornalistas pediam que a direcção retirasse “de imediato, consequências claras das suas contradições internas e da forma como geriu o processo” e recusava “qualquer tentativa de silenciamento ou censura”.

O comunicado dos jornalistas afirma também que “a redacção, sentindo-se representada pelo Conselho de Redacção, entende que este órgão foi desrespeitado ao ter sido confrontado com duas versões contraditórias sobre os mesmos factos”.

O espaço de crónicas Este Tempo foi encerrado na semana passada, pouco depois de uma crónica do jornalista Pedro Rosa Mendes ter criticado o programa Reencontro, realizado pela RTP em Luanda. Rosa Mendes era um dos cinco participantes no espaço, que fazia parte das manhãs da Antena 1.

“Luís Marinho [director-geral da RTP] – num momento de honestidade infeliz – admitiu que não tinha gostado nada da minha crónica e que ela ia acabar. O director adjunto da RDP, Ricardo Alexandre, confirmou isso mesmo, ontem [terça-feira], na ERC [Entidade Reguladora para a Comunicação Social]”, afirmou Rosa Mendes nesta quarta-feira, no Parlamento Europeu, onde esteve a convite do eurodeputado português Rui Tavares.

Marinho afirmara antes que o fim do espaço estava planeado de antemão.

A direcção de informação era constituída pelo director João Barreiros, pelo director adjunto Ricardo Alexandre (que era responsável pelas manhãs da Antena 1 e que entretanto já se afastara dessa função) e pelos sub-directores Rosário Lira, Paulo Sérgio, Vitor Oliveira e Eduarda Maio.

Fonte: Publico

- Publicidade -
- Publicidade -

Fernando João: “Perpetuar legado de Neto é responsabilidade colectiva”

Perpetuar o legado de Neto é uma responsabilidade colectiva que deve engajar todos os angolanos, sem excepção, afirmou o secretário de Estado da Juventude,...
- Publicidade -

Activistas detidos em Malanje em greve de fome contra a brutalidade policial

Os 10 activistas detidos na quinta-feira, 17, dia do Herói Nacional, em Calandula, na província angola de Malanje, estão em greve de fome há...

Cabo Verde: “Juízes imunes a toda essa pressão” no caso Alex Saab

O Conselho Superior de Magistratura Judicial garante que os juízes do Supremo Tribunal de Justiça que vão decidir sobre a extradição de Alex...

“A população tem mais medo da polícia do que da Covid-19”, diz activista angolano

A falta de preparação técnica para lidar com o público e actuar com profissionalismo em momentos de tensão é uma das razões apontadas como...

Notícias relacionadas

Fernando João: “Perpetuar legado de Neto é responsabilidade colectiva”

Perpetuar o legado de Neto é uma responsabilidade colectiva que deve engajar todos os angolanos, sem excepção, afirmou o secretário de Estado da Juventude,...

Activistas detidos em Malanje em greve de fome contra a brutalidade policial

Os 10 activistas detidos na quinta-feira, 17, dia do Herói Nacional, em Calandula, na província angola de Malanje, estão em greve de fome há...

Cabo Verde: “Juízes imunes a toda essa pressão” no caso Alex Saab

O Conselho Superior de Magistratura Judicial garante que os juízes do Supremo Tribunal de Justiça que vão decidir sobre a extradição de Alex...

“A população tem mais medo da polícia do que da Covid-19”, diz activista angolano

A falta de preparação técnica para lidar com o público e actuar com profissionalismo em momentos de tensão é uma das razões apontadas como...

Eleições no sul da Nigéria com dois rivais e pandemia em pano de fundo

A Nigéria organiza o seu primeiro escrutínio desde o início da pandemia de Covid-19, para eleger o novo governador do Estado de...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.