Radio Calema
InicioAngolaRegiõesCabinda: Comércio bem abastecido e com preços acessíveis

Cabinda: Comércio bem abastecido e com preços acessíveis

A cidade de Cabinda vive uma agitação frenética de pessoas à procura de mantimentos para a ceia de Natal e de passagem de fim de ano. Os mercados informais e os estabelecimentos comerciais são os locais onde a população se abastece de géneros alimentícios e “mimos” de Natal.
Os tradicionais produtos da ceia, que compõem o famoso cozido de meia-noite de 24 de Dezembro (Natal) bacalhau, batata, grão-de-bico, azeitona e aceite doce são comercializados normalmente no mercado informal e nos estabelecimentos comerciais.
Os dois maiores estabelecimentos da rede comercial privada que asseguram o abastecimento à província, “OSS” e “Simbila” têm um stock considerável de produtos alimentícios em armazém, além das mercadorias expostas nas prateleiras para a venda normal.
O sinal que indica o aproximar da quadra festiva, não se resume apenas à presença maciça de pessoas em estabelecimentos comerciais para compras, mas também pelos presépios e enfeites de Natal projectando o colorido de luzes em diversas instituições públicas, privadas e nas montras.
O sócio gerente do supermercado”Simbila”, Robert Hasson, garantiu que os produtos essências para a quadra festiva estão assegurados e que a sua empresa procurou importá-los cedo para evitar rupturas e permitir que os consumidores façam as compras normalmente antes do período da quadra festiva para evitar as habituais enchentes.
A gerência da empresa, disse Roberto Hasson, está com dificuldades no processo de desalfandegamento e descarga de algumas mercadorias no porto de Cabinda.
Para Roberto Hasson a outra dificuldade é o transbordo e baldeação de mercadores a partir dos portos de Luanda e Ponta Negra e no alto mar da costa marítima de Cabinda por falta de condições de atracagem na ponte cais local.
“Os contentores importados são descarregados nos portos de Luanda e Ponta Negra” disse, manifestando-se confiante na eficácia nas autoridades portuárias e alfandegarias de Cabinda.
Se ao nível do supermercado “Simbila” a gerência está a encontrar dificuldades em desalfandegar parte das suas mercadorias, o mesmo já não acontece com a unidade comercial “OSS”. O supervisor Francisco Loqui Puati referiu que todos os produtos destinados à quadra festiva já se encontram armazenados estando neste momento a serem comercializados. Esclareceu que o centro comercial regista uma movimentação fora do comum, traduzida na afluência de clientela para efectuar antecipadamente as compras para o Natal e passagem de ano.
“Nós possuímos uma experiência de muitos anos, não temos nada em falta: há bacalhau com fartura, batata, aceite doce, azeitonas e bebidas, desde as espirituosas aos refrigerantes”, disse Loqui Puati.

Preços atraentes

Os preços são atraentes e acessíveis às capacidades de cada cliente. Ana Yebo é dona de casa e funcionária da petrolífera Chevron. Em declarações à nossa reportagem no momento em que fazia compras num dos supermercados da cidade, disse que já recebeu o ordenado e o subsídio de Natal e por isso “aproveito para fazer as compras essenciais, enquanto os preços são mais acessíveis. Daqui a uns dias tudo fica mais caro”.
Ana Yebo anda à procura de “mimos” do Natal, mas não compra na primeira loja que entra: “vou entrar em mais lojas para ver se consigo o essencial aos melhores preços” salientou. A necessidade de proporcionar à família boas condições durante o período festivo leva Maria da Conceição a andar de loja em loja à procura dos melhores produtos. Para já, está mais interessada em adquirir brinquedos para os filhos, que ainda são crianças.         

Energia eléctrica

A quadra festiva em Cabinda vai ser passada com um problema antigo: o irregular fornecimento de energia eléctrica. As hipóteses de um abastecimento regular de energia eléctrica durante as festas são remotas a julgar pelas actuais capacidades de produção.
O Governo Provincial fez tudo para oferecer neste mês de Dezembro um presente de Natal à população com a entrada em funcionamento de uma das duas turbinas a gás em montagem na nova central térmica de Malembo, 35 quilómetros a norte de Cabinda. Mas contra todas as expectativas as obras ainda estão a decorrer e é preciso aguardar mais algum tempo.
As turbinas a gás garantem um abastecimento regular de energia eléctrica à cidade e bairros periféricos. O director da ENE, Arão Bamana, sobre a estratégia montada pela empresa para a distribuição de energia eléctrica durante a quadra festiva, disse: “não posso dizer nada de definitivo. Mas o que posso dizer é que o nosso ministro, oito dias depois da sua nomeação, a primeira província que visitou foi Cabinda, para solucionar os problemas que temos”.

Assistência médica

O director do Hospital Central de Cabinda, Francisco Rodrigues Moreira, disse que na vertente de assistência médica, foram tomadas precauções para acudir casos que possam ocorrer no período festivo.
O pessoal foi reforçado a nível de todos os bancos de urgência: pediátrico, adultos e cirúrgico.
Também houve um reforço de medicamentos.
Francisco Rodrigues Moreira assegurou que não há problemas de absentismo em virtude do pessoal técnico (enfermeiros) ter já recebido os ordenados com base na nova carreira de enfermagem.
“Houve melhoramento significativo dos salários dos enfermeiros e acredito que estes profissionais vão dar o melhor de si em prol da população” disse confiante.
A polícia nacional, já traçou estratégias para a segurança e prevenção rodoviária.
No domínio da ordem pública, o Comando provincial da Policia Nacional, através do comando municipal e de cinco esquadras policiais na cidade de Cabinda e bairros periféricos está a desenvolver operações de policiamento de proximidade, patrulhamentos auto e apeados, sobretudo em locais susceptíveis de delitos.
O comandante municipal da Polícia Nacional, superintendente Domingos João Baptista, disse à reportagem do Jornal de Angola, que para tornar as operações de policiamento eficientes, a corporação vai contar com a colaboração das autoridades tradicionais, com vista a facilitar a obtenção de informação relativa a comportamentos violentos e delituosos durante o período festivo.
Domingos João Baptista revelou que para o sucesso das acções policias durante a quadra festiva, está mobilizado o efectivo necessário. O superintendente pediu à população para se manter calma durante o Dia da Família e da passagem de ano, advertindo que vão ser duramente reprimidos os que fizerem uso de armas de fogo.

Prevenção rodoviária

O comandante da unidade de trânsito, intendente Adão Kuanga Maimbi, informou que a prevenção rodoviária está assegurada. Foram desencadeadas acções operacionais, com o objectivo de aumentar a presença policial nas principais vias de Cabinda, visando proporcionar um tráfego fluido e ampliar a fiscalização fora das localidades, com realce para a estrada da fronteira de Yema, Tando Zinze, Malembo, Massabi, Dinge, Buço Zau e Belize.
O incremento de medidas de fiscalização durante o período festivo visa a contenção de excessos de lotação nas viaturas.
O excesso de velocidade vai ser controlado por radar. E os agentes vão controlar com rigor as viaturas em mau estado técnico, fiscalizar e a condução sob o efeito do álcool dentro e fora de localidades.
 “Vamos aplicar todos os meios à nossa disposição contando também com a colaboração dos comandos municipais e da polícia militar” disse o comandante da unidade de trânsito para quem, apesar do rigor que se exige por parte dos efectivos da polícia de trânsito sobre a fiscalização do tráfego rodoviário durante o período da quadra festiva, um papel de pedagogia deve ser exercido antes de qualquer punição.

 

Fonte: Jornal de Angola

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.