Radio Calema
InicioAngolaRegiõesReabilitação de estradas nas prioridades do Bengo

Reabilitação de estradas nas prioridades do Bengo

A reabilitação das vias secundárias constitui a prioridade do governo da província do Bengo para o próximo ano, sem prejuízo para outros sectores vitais da economia local, como a agricultura, disse sexta-feira em Caxito o governador João Bernardo de Miranda.
“Para o ano que vai agora começar e, sem prejuízo para outros sectores igualmente vitais, os nossos esforços vão estar direccionados para a reabilitação das vias secundárias e, na medida do possível, também as chamadas estradas terciárias”, disse.
João Bernardo de Miranda afirmou que em 2012 o seu pelouro deve ainda trabalhar na construção e reabilitação de recintos de recreação, desportivos e culturais, destinados sobretudo à juventude, tendo anunciado a construção de um pavilhão desportivo multiuso e a reabilitação do Estádio Municipal do Dande, em Janeiro.
“Enquanto não for restaurado o Cine Caxito, cujos trabalhos vão igualmente começar no primeiro trimestre de 2012, decidimos abrir as portas da sala do governo provincial, no Sassa Povoação, para a exibição dos grupos teatrais da província”, anunciou.
O governador considerou positivo o programa económico e social em 2011, apontando como exemplo o índice de aproveitamento escolar no ensino primário, que atingiu os 91 por cento, e a execução dos programas municipais integrados de combate à fome e pobreza, que ronda os 72 por cento.
A nível da saúde, o governador disse que, com a inauguração em breve do Hospital Municipal de Nambuangongo, vai faltar apenas Bula Atumba para completar a cobertura dos municípios com hospitais de primeira categoria. Como acção complementar, está já em construção em Caxito um depósito de medicamentos.
João Miranda apelou aos quadros a ajudarem o governo na mobilização de investidores nacionais e estrangeiros a investirem na região.“O desmembramento dos municípios de Icolo e Bengo e Quissama empobreceu a nossa província, quer do ponto de vista demográfico, quer do espaço territorial, mas fundamentalmente no que à economia diz respeito”, lamentou.

 

 

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Edmundo Eucílio

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.