Radio Calema
InicioDestaquesChefe da Armada, Bubo Na Tchuto, preso em Bissau

Chefe da Armada, Bubo Na Tchuto, preso em Bissau

O Chefe do Estado-Maior da Armada da Guiné-Bissau, almirante Bubo Na Tchuto, foi preso hoje em Bissau, por suspeita de envolvimento numa numa tentativa de golpe de Estado – soube a VOA junto de fontes militares na capital guineense.

Não se conhecem as motivações dos revoltosos, que o Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas, general António Indjai, acusou de “tentativa de subversão da ordem constitucional”.

Indjai falava após uma reunião, em Bissau, entre as chefias militares e os ministros da Defesa e do Interior, e adiantou que a situação está sob controle. O primeiro-ministro, Carlos Gomes Júnior, não participou na reunião.

O consul da Guiné-Bissau em Angola, Isac Monteiro, disse em Luanda que o chefe do governo guineense se refugiou na embaixada angolana, situada em frente à sua residência. Disse, ainda, que tropas angolanas dispararam as suas armas, em defesa de Carlos Gomes Júnior, durante uma tentativa de rapto do mesmo, pelos militares revoltosos.

O chefe do Estado-Maior, general António Indjai, instalou-se no quartel dos Paracomandos onde, durante a maior parte do dia comandou a resposta do regime.

Logo nas primeiras horas da revolta, a mesma foi atribuída à Armada guineense, mas o chefe do Estado Maior do ramo, almirante Bubo Na Tchuto, disse aos jornalistas nada ter que ver com o assunto.

“O meu nome sempre é associado a confusão. Mas, posso dizer ao país que não tenho nada a ver com o que se estará a passar. Foi o próprio chefe do Estado-Maior que me ligou, esta manhã, a perguntar se seriam os meus homens que tentaram atacar o paiol, ao que lhe respondi que não são os meus homens e não tenho nada a ver com tudo isso”, afirmou Bubo Na Tchuto. Horas depois, foi preso.

Esta revolta acontece quatro dias após uma visita do primeiro-ministro a Angola, e durante uma prolongada ausência do país, do presidente Malam Bacai Sanhá que se encontra no estrangeiro a receber tratamento médico.

Recorde-se que a 1 de Abril de 2010 de militares liderados pelo agora chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, António Indjai, e o agora chefe do Estado-Maior da Armada, Bubo Na Tchuto, destituiu o então chefe do Estado-Maior, Zamora Induta, e detiveram por algumas horas, o primeiro-ministro, Carlos Gomes Júnior.

António Indjai era na altura vice-chefe do Estado-Maior das Forças Armadas e Na Tchuto estava refugiado na sede das Nações Unidas, acusado de tentativa de golpe de Estado.

 

Fonte: VOA

Foto: Reuters

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.