Radio Calema
InicioAngolaSociedadeCidadão é condenado a prisão por estupro

Cidadão é condenado a prisão por estupro

O tribunal provincial do Kuando-Kubango condenou ontem, na cidade de Menongue, o cidadão Carlos Zeferino Cambinda à pena de 10 anos de prisão maior pelo crime de estupro de uma adolescente de 13 anos de idade.
O réu, de 26 anos de idade, foi igualmente condenado a pagar uma multa de 500 mil kwanzas à ofendida, 80 mil kwanzas de taxa de justiça e três mil kwanzas de emolumentos ao seu defensor oficioso.
O juiz de direito Aurélio Simba explicou que o crime aconteceu no dia 8 de Julho do corrente ano no município do Cuchi, a 93 quilómetros da cidade de Menongue, durante uma excursão que o secretariado provincial da OPA, então liderado por Carlos Zeferino Cambinda, realizou àquela localidade, com uma caravana composta por 70 adolescentes com idades compreendidas entre os 13 e os 17 anos.
Chegados à sede municipal do Cuchi, por volta das 10 horas do mesmo dia, os 70 pioneiros foram acampados numa escola local, em duas salas de aulas, sendo uma para rapazes e outra para raparigas.
As actividades recreativas tiveram início no período da tarde e prolongaram-se até ao período nocturno com música alta. Na altura, a ofendida já se encontrava a dormir e o réu mandou um dos pioneiros ir buscá-la à força. Ela já se tinha negado a ir, da primeira vez que foi chamada.
Segundo os autos, o réu levou a jovem para um sítio escuro onde consumou o acto sexual. A ofendida clamou por socorro, mas ninguém ouviu os seus gritos, devido ao barulho da música.
O acórdão refere que ficou provado em tribunal que o acto sexual violento a que o réu submeteu a vítima provocou, para além de hemorragias, dores em todo o corpo, devido à sua resistência. O réu, segundo o tribunal, tentou acalmá-la dizendo que já tinha feito o mesmo a outras meninas e prometeu dar-lhe dinheiro, roupas e viagens. O juiz de direito relatou que, durante o tempo que durou a excursão, o réu manteve a ofendida sob vigilância apertada, com ameaças para não ser denunciado.O juiz Aurélio Simba disse que a detenção de Carlos Zeferino Cambinda só foi possível graças à denúncia de uma das excursionistas, que informou o sucedido à sua mãe e esta, por seu turno, participou a ocorrência às autoridades policiais.

Como reacção à sentença, o réu tentou suicidar-se em plena sala de audiências do tribunal provincial, em frente aos juízes, advogados e familiares, atirando-se ao chão de cabeça para baixo. A pronta intervenção dos efectivos da unidade penitenciária de Menongue e da Polícia Nacional neutralizou o réu.

Carlos Paulino | Menongue

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Nilau Vasco

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.