Segunda-feira, Fevereiro 6, 2023
10.6 C
Lisboa

Crise na Somália é levada a debate

Mogadíscio sofre uma grave crise humanitária e as Nações Unidas declararam crise de fome em seis regiões a sul da capital somali

O grupo internacional de contacto sobre a Somália nomeado pelas  Nações Unidas realiza hoje e amanhã, em Copenhaga, capital da Dinamarca, uma reunião para analisar a situação daquele país assolado pela fome, pirataria e guerra civil, anunciou o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Dinamarca.
Em comunicado, o ministério afirmou que uma solução para o sofrimento humano e a estabilização da segurança da Somália somente podem ser atingidos a longo prazo por via política e que o encontro vai discutir a retirada dos rebeldes ligados aos islamistas “shebab” da capital, Mogadíscio, além da crise humanitária e a pirataria no Índico.
O grupo vai igualmente analisar a implantação de um programa de paz recentemente acordado para criar um governo estável na Somália. O encontro vai ser presidido pela representante especial das Nações Unidas para a Somália, Augustine Mahiga, e conta com a presença do primeiro-ministro somali, Abdiweli Mohamed Ali, e o coordenador humanitário das Nações Unidas, Mark Bowden.
Entretanto, o Irão enviou esta semana um carregamento com cerca de 5.000 toneladas de ajuda humanitária à Somália para amenizar as condições das populações vítimas de fome, doenças e guerra civil daquele país do Corno de África.
“O carregamento inclui legumes, arroz, farinha, leite em pó, azeite, massa, açúcar e conserva de peixe. Também foram enviadas dez toneladas de suprimentos médicos”, informou o chefe do Quarto Crescente Vermelho, Ali Alami. Um barco partiu com os donativos na terça-feira e deve levar entre 15 a 20 dias para chegar ao destino. Segundo a agência Irna, nos últimos 15 meses, o Irão enviou 15 carregamentos de ajuda humanitária para a Somália, totalizando 600 toneladas.

Guerra civil

A Somália vive uma situação de guerra civil desde 1991, quando foi deposto o presidente Mohamed Siad Barre. Desde então, o poder está dividido entre chefes tribais, milícias islâmicas e outros grupos armados, bem como pirataria.
O país sofre uma grave crise humanitária e em 20 de Julho deste ano, as Nações Unidas declararam crise de fome em duas regiões no sul. Dois meses depois, outras quatro regiões também foram declaradas em estado crítico.

 

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: AFP

POSTAR COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

- Publicidade -spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Beyoncé está perto de se tornar artista com maior número de Grammys

Beyoncé conquistou dois Grammys na tarde deste domingo, na pré-gala da premiação mais prestigiada da indústria da música, onde...

Artigos Relacionados

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
  • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
  • Radio Calema
  • Radio Calema