Segunda-feira, Fevereiro 6, 2023
11.6 C
Lisboa

Educação defende monodocência

Titular da pasta da Educação foi o entrevistado do Programa "Espaço Público" da TPA

O ministro da Educação, Pinda Simão, apontou domingo, em Luanda, as vantagens que o sistema da monodocência oferece na aprendizagem dos alunos.
Pinda Simão, que falava no programa “Espaço Público” da Televisão Pública de Angola (TPA), emitido aos domingos no canal 1, destacou o facto de, no ensino primário, o sistema ser assegurado por um único professor em todas as disciplinas e classes.
O ministro lembrou que a 5ª e a 6ª classes entraram para o sistema da monodocência, a partir de 2008, mas a sua execução começou anos depois. Essas classes, enfatizou, têm nove disciplinas que, em princípio, devem ser asseguradas por um mesmo professor.
A ideia, esclareceu, é que o mesmo professor leccione os alunos a partir da 1ª classe e depois de familiarizar-se evolui com eles, conhece as suas dificuldades e  potencialidades, e prossegue até ao fim do ciclo primário. Segundo Pinda Simão, os resultados tirados da fase de experimentação indicam ter havido dificuldades em relação a alguns professores.
O ministro fez referência à reforma educativa, à merenda escolar e à falta de laboratórios em algumas instituições de ensino. Quanto à reforma educativa, revelou a existência no país de 53 mil salas de aulas para seis milhões e 58 mil alunos, que normalmente são repartidos em dois ou três turnos. Apesar desses números, o ministro reconheceu haver ainda um défice em termos de capacidade de atendimento.
Sobre a merenda escolar, precisou que a determinado momento verificou-se que era necessária, mas a experiência demonstrou que o seu custo terá evoluído bastante, exemplificando que, inicialmente, a despesa era de um terço de dólares norte-americanos por dia para cada aluno.

Cumprimento das metas

Em Junho passado, em Gébra, o ministro da Educação  disse  que o Executivo angolano está empenhado em atingir os Objectivos do Milénio e as metas traçadas em Dakar relativamente à educação para todos, tendo assumido os 11 compromissos relativos à criança.
Na 67ª Sessão do Conselho Económico e Social das Nações UniPinda Simão considerou que a realização desta tarefa confirma que a educação das crianças mobilizou todas as “forças vivas” da sociedade angolana, dependendo o seu sucesso de vários factores e actores envolvidos no processo.
O Executivo está a experimentar a Reforma do Sistema Educativo e da formação, que arrancou em 2004. “O principal objectivo do sector da Educação consiste na generalização da reforma do novo sistema de ensino geral, nomeadamente, o ensino primário e secundário”, afirmou o ministro da Educação, Pinda Simão.
Em relação à reforma da Educação, realçou os seis objectivos principais: a expansão da rede escolar, a melhoria da qualidade e da eficácia do ensino, a valorização do professor, a redução do analfabetismo absoluto e tradicional, a diminuição da pobreza no seio dos alunos e saúde para todas as crianças.
Pinda Simão esclareceu que, de 2002 a 2010,  foram construídas e reabilitadas várias escolas em todo país e sublinhou que a política de descentralização administrativa a nível do país permitiu beneficiar de uma gestão descentralizada a nível provincial, municipal e comunal.

 

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: JA

POSTAR COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

- Publicidade -spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Rei Felipe VI já em Luanda

À sua chegada, Felipe VI e esposa foram recebidos pelo ministro das Relações Exteriores, Téte António, e o embaixador...

Artigos Relacionados

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
  • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
  • Radio Calema
  • Radio Calema