Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023
8.4 C
Lisboa

Pescado de boa qualidade

O peixe pode ser comprado mais barato

Diversas variedades de peixe fresco e seco estão desde ontem à disposição dos visitantes da Feira de Pesca Artesanal, que hoje termina, no Miradouro da Lua, em Luanda, e conta com 36 expositores.
Lagosta, corvina, pungo, linguado, roncador, bagre, sofia, peixe-espada fresco ou seco, são algumas das espécies que se encontram à venda na feira alusiva ao Dia do Herói Nacional. Os preços variam entre 500 e 800 kwanzas o quilo de peixe fresco, enquanto o seco vai de mil a quatro mil kwanzas.
O ministro da Agricultura Desenvolvimento Rural e Pescas, Afonso Canga, fez a abertura oficial do certame, que considerou ser um contributo dos pescadores para o combate à fome e à pobreza.
“Os pescadores contribuem para a nossa dieta alimentar trazendo peixe de qualidade e o Executivo tudo está a fazer para os apoiar na indústria pesqueira”, afirmou. Segundo Afonso Canga, o Executivo vai continuar a incentivar os pescadores a aderirem ao microcrédito a que têm direito, num valor equivalente a cinco mil dólares cada, para adquirirem equipamentos de pesca, ou investirem em infra-estruturas.  A vice-governadora da província de Luanda para a área social, Juvelina Imperial, presente no acto, salientou que o encontro  permite que os pescadores tenham alguns ensinamentos sobre matérias relacionadas com a pesca artesanal, sanidade dos mercados de pescado, salga e secagem e sobre o controlo de qualidade de vários produtos relacionados com o peixe.
Juvelina Imperial encorajou os pescadores a aproveitarem as palestras que estão a ser realizadas no local, sobre as demonstrações técnicas de manuseamento, conservação e transformação do pescado e de outros produtos, da navegação na carta náutica, entre feituras de nós e voltas, a sua importância e outras técnicas
No recinto da feira está implantada uma unidade fabril de gelo e conservação de peixe, para permitir que os pescadores tenham gelo durante e depois da pesca. João Silva, director da empresa H. Seabra, disse que um dos problemas que os pescadores enfrentam quando vão ao mar, é o de o peixe chegar a terra com pouca conservação, muitas vezes em vias de se estragar. “ Com esta fábrica de gelo, os pescadores estão muito mais seguros de que o peixe chega às mãos do comprador em condições”, afirmou.
O pescador Caxine Hilário está nesta actividade há 19 anos, mas tal como muitos dos seus colegas passou pelo Centro de Formação Pesqueira (Cefopesca), localizado no Cacuaco, enquanto outros optaram pelo Instituto Artesanal. Segundo explicou, ele e os demais pescadores encontram-se motivados para continuar a trabalhar e trazer peixe de qualidade, para satisfazer o cliente. Hoje, além da exposição e venda do peixe, irão realizar-se diversas actividades culturais, concursos de música, poesia e dança, e uma demonstração do Cefopesca.

 

Madalena José

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: José Soares

POSTAR COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

- Publicidade -spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quem são os favoritos para vencer eleição de presidente do Senado?

A eleição que definirá quem irá presidir o Senado até janeiro de 2025 acontece na próxima quarta-feira (1º) e,...

Artigos Relacionados

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
  • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
  • Radio Calema
  • Radio Calema