Sexta-feira, Fevereiro 3, 2023
6.8 C
Lisboa

Presidência angolana da SADC pode relançar integração regional

O porta-voz da UNITA, Alcides Sakala, fez um prognóstico sobre a presidência angolana na Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC). Em declarações à Angop Alcides Sakala disse que a comunidade tem muitos desafios pela frente, por estar numa altura crucial da integração regional, cujo processo conhece momentos de aceleração e desaceleração.
“Angola pode imprimir uma nova dinâmica no quadro daquilo que são os grandes objectivos estratégicos desta organização regional”, admitiu Alcides Sakala. Segundo o dirigente da UNITA, Angola deve assumir um papel fundamental nesta fase em que se fala da criação de um espaço do comércio livre e da integração a nível da região, que é a primeira etapa da incorporação.
Alcides Sakala, que é também secretário para as Relações Exteriores da UNITA, disse que nesta fase ainda estão longe os grandes objectivos políticos da SADC. O mais importante, no entanto, sublinhou, é o começo.
“A região começa bem porque há vontade política dos Estados membros em integrar este espaço”, observou, notando que a livre circulação dos cidadãos e bens pelos países membros é a segunda etapa do processo de inclusão.
O deputado Alcides Sakala defende que ainda há passos a dar, mas o importante é consolidar esta primeira fase: “acredito que havendo um melhor entendimento das vantagens, há maior predisposição de avançar para as etapas seguintes”, asseverou.
Lembrou que a integração passa pela criação da Zona de Comércio Livre, mercado comum, supressão dos direitos alfandegários e união económica e política. Angola assumiu a presidência rotativa da SADC no decurso da Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da organização, realizada nos dias 17 e 18 deste mês, em Luanda.
Na mesma ocasião, Moçambique assumiu o cargo de vice-presidente da SADC, enquanto a coordenação do órgão de Política, Defesa e Segurança da organização regional passou da Zâmbia para a África do Sul.

Desenvolvimento regional

O deputado Julião Francisco Teixeira considerou ontem que Angola tem muito a dar para o desenvolvimento da região austral de África, mercê da sua extensão territorial e diversidade de recursos naturais que possui.
“Angola tem muito para dar, com realce para os recursos hídricos que permitem a construção de barragens para o fornecimento de energia eléctrica aos países da região”, disse, em declarações à Angop, o deputado do MPLA.
Julião Teixeira comentava a presidência de Angola da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC).  Salientou que em nove anos de paz, Angola tem primado pela reabilitação de infra-estruturas rodoviárias, aeroportuárias e marítimas, “pois permitem a interligação dos países, visando a integração e desenvolvimento da região e a livre circulação de pessoas e bens”.
O deputado reconheceu a existência de vontade política das lideranças dos Estados membros da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral(SADC) para a realização do projecto comum, expresso no relatório apresentado aos delegados pelo secretário executivo da organização.
O parlamentar Julião FranciscoTeixeira apontou como um dos factores que poderetardar o desenvolvimento da comunidade, “o desnível económico entre os países membros”, alertando os respectivos Estados membros a acautelarem tal situação.

Fonte: Jornal de Angola

POSTAR COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

- Publicidade -spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Uíge: UNITA e FNLA acusam Governo provincial de favorecer militantes do MPLA na distribuição de terras

UNITA e FNLA, na oposição em Angola, acusam o Governo provincial do Uíge de excluir seus militantres do processo...

Artigos Relacionados

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
  • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
  • Radio Calema
  • Radio Calema