Segunda-feira, Fevereiro 6, 2023
11.6 C
Lisboa

Crise na Europa e EUA afecta Bolsas Mundiais

A agência de notação financeira Moody’s considera “prematuro” um corte na notação dos Estados Unidos enquanto a Fitch pensa que ainda é preciso “reflectir”, disseram responsáveis das duas agências ontem citados pelo “The New York Times”.
Na sexta-feira, a terceira grande agência internacional de notação financeira, a Standard & Poor’s, reduziu a notação da dívida soberana dos EUA de AAA (nível máximo) para AA+.
“Pensamos que um corte da notação é prematuro, visto que o Congresso dos EUA chegou a acordo para um plano de redução do défice”, disse Steven Hess, analista da Moody’s citado pelo jornal nova-iorquino.
“Apesar do contexto político conflituoso e das dificuldades em chegar a um acordo, e mesmo se o acordo orçamental não é o ideal, consideramo-lo mesmo assim um ponto de viragem na política orçamental dos EUA”, disse Hess.
Pelo Fitch, o director das notações soberanas, David Riley, recusou-se a comentar sobre uma mudança na avaliação dos EUA, limitando-se a dizer que a nota “continua a ser AAA, até ao dia em que mudar”.
Riley disse contudo que, mesmo que Fitch e Moody’s mantenham a nota máxima para os EUA, a redução pela Standard & Poor’s vai ter efeitos: “Já enfraqueceu o perfil de devedor dos Estados Unidos”.

Casa Branca pede união

A Casa Branca apelou ontem aos partidos democrata e republicano para que se mantenham unidos de forma a melhorar a situação financeira dos Estados Unidos, cuja notação financeira foi reduzida pela agência de rating Standard & Poor’s. É a primeira vez na história que os EUA sofrem uma desvalorização deste tipo.
“Devemos fazer melhor para mostrar a nossa vontade, a nossa capacidade e o nosso empenho em trabalharmos juntos para enfrentar os desafios económicos e orçamentais”, declarou num comunicado o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.
Na noite de sexta-feira, a agência de notação financeira Standard & Poor’s reduziu a notação dos Estados Unidos de AAA (a máxima) para AA+, uma redução inédita na história da maior economia do mundo, motivada por receios quanto ao nível de endividamento do Estado federal dos EUA.
Além disso, a S&P mantém a notação sob vigilância, com perspectivas “negativas” de evolução. “O Presidente Barack Obama considera que é importante que os representantes eleitos se unam para reforçar a economia”, afirmou Carney, citando um acordo orçamental assinado no início da semana no Congresso como “um passo na direcção certa”.
“Ao longo das próximas semanas, o presidente vai encorajar de forma veemente o comité especial bipartidário e todos os membros do Congresso a mostrar o nosso empenho comum numa retoma forte e num futuro orçamental positivo sem interferência de divergências ideológicas ou políticas”, acrescentou Carney.A Standard & Poor’s afirma que as medidas tomadas pelos EUA não foram suficientes para resolver o problema do défice orçamental. No sábado, a dívida pública norte-americana era de 14,3 triliões de dólares.
“A diminuição é motivada pelo facto de a consolidação fiscal acordada entre o Congresso e a Administração ficar aquém do que era necessário para estabilizar a dinâmica da dívida do Governo a médio prazo”, indicou a agência em comunicado divulgado sábado à noite.
Esta diminuição “reflecte a nossa visão de que a eficácia, estabilidade e previsibilidade da elaboração de políticas americanas e das instituições políticas enfraqueceram num momento de desafios fiscais e económicos”, acrescenta a Standard & Poor’s.
O plano de redução da despesa acordado há dias no Congresso não foi suficiente para demover a agência de baixar em um nível o rating da maior economia global.
Após três meses de um duro braço-de-ferro, democratas e republicanos conseguiram fechar um acordo que permitiu salvar os EUA de entrarem em incumprimento.
Como contrapartida para o aumento do tecto da dívida, a Casa Branca e a oposição estabeleceram um plano de redução da despesa em 2,4 triliões de dólares em dez anos.

Fonte: Jornal de Angola

POSTAR COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

- Publicidade -spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Daniel Alves: MP da Espanha é contra liberdade provisória

Disposto a fazer quase qualquer coisa para deixar a prisão de Brians 2, em Barcelona, o lateral direito Daniel...

Artigos Relacionados

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
  • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
  • Radio Calema
  • Radio Calema