Vice-ministro líbio do Interior sai ileso de tentativa de assassinato em Benghazi

Carro transportando migrantes cruza o Níger a caminho da Líbia (Afp)

O capitão Faraj Kaïem, vice-ministro do Interior do Governo de União Nacional líbio reconhecido pela comunidade internacional, sobreviveu a uma tentativa de assassinato com carro armadilhado domingo à tarde, na zona de Sidi Khalifa, na cidade de Benghazi, no leste do país.

O incidente fez quatro feridos que se encontram em tratamentos intensivos e, segundo fontes de segurança, o governante líbio está em boa saúde e não está entre os feridos.

O carro armadilhado visou o cortejo do vice-ministro do Interior do Governo de União Nacional, e os quatro feridos foram evacuados para o hospital al-Jala de Benghazi.

O capitão Faraj Kaïem foi nomeado a 21 de agosto último para o posto de vice-ministro do Interior pelo presidente do Conselho Presidencial, Fayez al-Sarraj, com o objetivo de representar uma grande tribo muito influtente em Benghazi, a segunda maior cidade do país.

A medida foi na altura considerada como uma decisão judiciosa, sendo que o capitão Faraj é originário da tribo Al-Awaguir, uma das mais fortes da região oriental da Líbia, atualmente sob o controlo das Forças Armadas líbias comandadas pelo marechal Khalifa Haftar.

Mas esta nomeação suscitou a fúria de Haftar que viu nela um sério aviso e uma intrusão
no sua coutada, a Região Oriental da Líbia.

Lembre-se que o jovem oficial foi o primeiro a denunciar a presença de islamitas extremistas em Benghazi. Ele ocupou o posto de diretor do Serviço de Luta contra o Terrorismo no Governo Interino de Abdallah al-Theni instalado em Beidha, no leste, antes de ser descartado por ter sido acusado publicamente por Haftar e pelos seus homens de patrocinar assassinatos e operações de rapto contra oficiais e intelectuais líbios. (Panapress)

DEIXE UMA RESPOSTA