Reforço da cooperação leva PR à África do Sul na próxima semana

Presidente João Lourenço (Foto: Alberto Julião)

O reforço da cooperação nos sectores bancário, serviços veterinários, educação superior, supressão de vistos em passaportes ordinários, entre outros, fará parte do programa de visita oficial do Chefe de Estado, João Lourenço, que se desloca à África do Sul na terceira semana deste mês.

Esta informação foi prestada hoje (quinta-feira) pela ministra das Relações Internacionais e Cooperação da África do Sul, Maite Nkoana-Mashabane, após encontro com seu homólogo angolano das Relações Exteriores, Manuel Augusto, que se encontra em Pretória desde quarta-feira.

Para preparar a visita de João Lourenço, convidado de Jacob Zuma, Presidente da África do Sul, os chefes da diplomacia dos dois países analisaram, em Pretória, o programa e os assuntos que serão abordados pelos estadistas.

Manuel Augusto disse à imprensa, depois da reunião, que foram discutidos instrumentos legais relacionados com a cooperação entre os dois países e que estão em condições de serem assinados durante a primeira visita de Estado do Presidente João Lourenço.

Reafirmou que a deslocação do estadista angolano à África do Sul visa relançar a cooperação bilateral em vários domínios no intuito de alavancar as economias de ambos os países.

Por seu turno, a ministra Maite Nkoana-Mashabane apontou os aspectos abordados no encontro com Manuel Augusto, destacando os sectores bancários, turismo, serviços veterinários, educação superior e supressão de vistos em passaportes ordinários.

Os dois governantes analisaram também a evolução de assuntos debatidos na quarta reunião da Comissão de Cooperação Bilateral (Angola – África do Sul), realizada em Julho deste ano, em Luanda.

Questionado sobre as razões de as partes impulsionarem só agora a cooperação, Manuel Augusto esclareceu que, depois do fim do conflito armado em 2002, Angola esteve virada à reconciliação nacional e neste momento está em condições de ampliar o intercâmbio com a África do Sul e com outros países da região.

“Os instrumentos que nós precisamos para tornar isso uma realidade estão discutidos e agora precisamos mobilizar os operadores para implementarem os projectos, com o apoio institucional do Estado”, afirmou o ministro das Relações Exteriores.

Angola e África do Sul têm como instrumentos jurídicos de cooperação um Acordo Geral de Cooperação Económica, Científica e Técnico-Cultural, assinado em Abril de 1998, e o Acordo para o Estabelecimento da Comissão de Cooperação Bilateral, assinado em Novembro de 2000. Entre 2003 e 2007, os dois países analisaram a cooperação institucional apenas duas vezes, ao nível da Comissão Mista Bilateral.

Em Julho deste ano, em Luanda, os dois países realizaram a IV sessão da Comissão de Cooperação Bilateral, para balancear o cumprimento dos acordos e memorandos assinados na reunião anterior (Outubro de 2013), período em que foram estudados os mecanismos de melhor implementação para impulsionar as relações bilaterais e de cooperação estratégica.

Na altura, foram constituídos cinco grupos de trabalho que debateram matérias ligadas aos sectores das relações exteriores, justiça e direitos humanos, antigos combatentes e veteranos da pátria, comércio, indústria, urbanismo e habitação, energia e águas e geologia e minas.

Ainda em Julho último, assuntos relacionados com os ramos dos petróleos, agricultura, pescas, hotelaria e turismo, ambiente, transportes, finanças, telecomunicações e tecnologias de informação, bem como ligados à família, promoção da mulher, assistência e reinserção social, cultura, comunicação social, ensino superior, educação, juventude e desporto, ciência e tecnologia também tinham sido discutidos. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA