Procurador espanhol pede ao juiz a emissão de um mandado de captura europeu para Carles Puidgemont

(LUIS GENE/AFP/Getty Images)

Oito ex-membros do governo da Generalitat catalã enfrentam também pedidos de prisão preventiva e foram acusados de delitos que podem ir até aos 30 anos de prisão.

O Ministério Público espanhol pediu hoje a emissão de um mandado de captura europeu para Carles Puigdemont, ex-presidente do governo autonómico da Catalunha, que estará na Bélgica e não compareceu esta quinta-feira na Audiência Nacional, em Madrid.

Já esta quarta-feira, o presidente destituído do Executivo catalão denunciou a politização deste processo e declarou que só volta a Espanha com garantias de um “tratamento justo” e com “separação de poderes” efetiva.

Os procuradores exigiram ainda a prisão preventiva para oito membros do governo da Catalunha, que foram destituídos na sequência do processo independentista catalão. Por entre gritos de ‘Viva Espanha’ e ‘Visca Catalunha’, os oito ex-conselheiros chegaram juntos e recusaram-se a responder às perguntas dos procuradores. Dos nove elementos que compareceram esta quinta-feira na Audiência Nacional, em Madrid, apenas o ex-conselheiro Santi Vila, que se demitiu horas antes da declaração de independência, teve direito a uma fiança de 50 mil euros.

Perante a juiz Carmen Lamela, os 14 antigos membros do executivo catalão e seis deputados regionais foram acusados dos delitos de sedição, desvio de fundos e rebelião, arriscando-se a penas que vão até aos 30 anos de prisão. (Euronews)

DEIXE UMA RESPOSTA