Nampula tem novo presidente-interino, Américo Yemenle

Sede do governo provincial de Nampula (AP)

Yemenle substitui Manuel Tocova, detido por porte ilegal de arma.
Américo Yemenle é o novo presidente da Assembleia Municipal de Nampula, que automaticamente assume a presidência interina. Ele foi eleito, hoje, 13, na sessão extraordinária do Assembleia Municipal, na sequência do impedimento permanente de Manuel Tocova.

Tocova, que está detido, desde a semana passada, por porte ilegal de arma, apresentou a sua renúncia àquele órgão, alegando problemas pessoais e familiares. Ele fora eleito em 2014 entanto que membro do Movimento Democrático de Moçambique (MDM).

Em menos de um mês no cargo, Tocova viu-se num envolvido em polémica, que além do porte ilegal de arma, inclui a recondução de vereadores que haviam sido afastados pelo anterior presidente, Mahamudo Amurane, por envolvimento em corrupção.

Amurane foi morto a 4 de Outubro deste ano por desconhecidos. Foi a sequência da sua morte que Tocova, na qualidade de presidente da Assembleia Municipal, assumiu a presidência interina da terceira maior cidade de Moçambique.

Yemenle era até a eleição chefe da bancada do MDM na Assembleia Municipal.

Yemenle promete trabalhar com todos

Para o cargo havia também se candidatado Filomena Mutoropa, do Partido Humanitário de Moçambique. A Frelimo não se candidatou alegando tratar-se de uma manobra do MDM.

Yemenle vai gerir assuntos urgentes da autarquia até a tomada de posse do presidente que será eleito a 24 de Janeiro de 2018.

Ele diz que está aberto a trabalhar com todos para o bem do município e dos munícipes.

O representante da tutela administrativa do Estado, Luis Aristides, pediu ao novo presidente para seguir as leis.

Tocova continua detido

Entretanto, Manuel Tocova continua detido numa das celas da polícia da República de Mocambique em Nampula.

Tal foi confirmado pelo porta-voz da polícia, Zacarias Nacute, que disse que não ser verdade que Tocova terá pago a caução de 300 mil meticais para responder em liberdade.

Nacute disse que o caso ja está nas mãos de instâncias judiciais. (Voa)

DEIXE UMA RESPOSTA