Moçambique: défice hidrológico preocupa autoridades

Maputo (DR)

Moçambique a ausência de chuvas causou um défice na produção de energia, que preocupa as autoridades, que apontam como alternativa a instalação de energias renováveis, como centrais fotovoltaicas.

Mocambique está a registar uma acentuada baixa na produção da energia eléctrica e de acordo com a ministra dos recursos minerais e energia Letícia Clemens a culpa está na queda irregular das chuvas nos últimos dois anos : “registamos uma redução de 8% devido principalmente ao défice hidrológico que se faz sentir no país”

A energia hidroeléctrica é até agora a principal fonte de electricidade em Mocambique e com o problema da queda irregular das chuvas as autoridades já estão a pensar em fontes alternativas revela ainda Letícia Klemens : “é importante e urgente que todas as acções identificadas como indispensáveis para a integração de energias renováveis, sejam implementadas”.

Se a situação não se regularizar nos próximos tempos, o país vai perder importantes fontes de renda, tendo em conta que Moçambique vende energia eléctrica a Estados da região como o Malawi, Zimbabué, Zâmbia, África do Sul e Swazilândia.

A Barragem de Cabora Bassa, no rio Zambeze, ou “Kahoura Bassa” na grafia original, o que significa “acabou o trabalho” em língua CiNyungue, falada na região de Tete onde se situa, é o maior produtor de electricidade em Moçambique, com capacidade superior a 2000 megawats, dos quais uma infíma parte fica em Moçambique, possui a quarta maior albufeira de África, depois de Assuão, Volta e Kariba. (RFI)

DEIXE UMA RESPOSTA